Sargento Neto chama indiciamento de Bolsonaro de perseguição do Ministério Público: “Procura chifre na cabeça de cavalo”

O deputado estadual Sargento Neto, em entrevista nesta terça-feira (19), afirmou que o fortalecimento do PL na capital está se consolidando após Cabo Gilberto, atual presidente do partido em João Pessoa, apoiar a candidatura de Marcelo Queiroga. Neto também falou que o indiciamento de Bolsonaro se configura como perseguição ao ex-presidente.

Neto afirmou que o apoio à candidatura de Queiroga foi direcionado por Bolsonaro, que quer ver o fortalecimento do PL na Paraíba, elegendo o maior número de candidatos possível.

Nesta segunda-feira (18), o presidente do PL em João Pessoa deu como “página virada” atrito que tinha com Queiroga, pré-candidato a prefeito em na capital. Anteriormente, Gilberto apoiava a candidatura de Nilvan Ferreira em João Pessoa, mas, agora que este se tornou pré-candidato em Santa Rita, Gilberto não vê mais motivos para alimentar as antigas divergências.

E, após ser questionado sobre o indiciamento de Bolsonaro, Neto afirmou que seria uma perseguição ao ex-presidente e que o mesmo estaria tranquilo sobre as acusações. O mesmo disse que o Ministério Público estaria procurando “chifre na cabeça de cavalo”.

O ex-presidente foi indiciado pelos crimes de associação criminosa e inserção de dados falsos em sistema de informações, no inquérito que apura suposta fraude em cartões de vacinação da covid-19, juntamente com seu ex-ajudante de ordens Mauro e outros aliados. Agora, o Ministério Público avaliará se há elementos para denunciar os indiciados.

“Tanta coisa pra se questionar, tantos problemas de corrupção, tantas operações de corrupção pra se preocupar. Aí vai se preocupar com a questão da aproximação de uma baleia e a questão de um cartão de vacinação que todo mundo sabe que ele não se vacinou”, declarou.

wscom