Advogados abandonam defesa de Ronnie Lessa após STF homologar acordo de delação

Os advogados Bruno Castro e Fernando Santana, que representavam Ronnie Lessa no caso envolvendo o assassinato de Marielle Franco, abandonaram a representação do ex-policial nesta quarta-feira 20. A decisão ocorre pouco após o anúncio da homologação do acordo de delação premiada pelo Supremo Tribunal Federal.

Lessa é o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. No acordo, ele teria apontado os mandantes do crime. Os depoimentos de Lessa foram prestados nos últimos meses, mas homologados apenas nesta terça-feira 19 pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do caso no STF.

Em nota a CartaCapital, os advogados citaram “ideologia jurídica” para justificar a saída do caso. No comunicado, eles afirmam que não atuam com delatores.

“Não atuar para delatores é uma questão principiológica, pré-caso, e nada tem a ver com qualquer interesse na solução ou não de determinada crime”, diz a nota de Castro e Santana.

Segundo os advogados, Lessa foi informado na assinatura do contrato que, se optasse pela delação, não contaria mais com os serviços da dupla. Eles defendiam o ex-policial há cerca de 5 anos.

“Desde o primeiro contato deixamos claro que ele não poderia contar com o escritório caso tivesse interesse em fechar um acordo de delação premiada”, cita a nota dos advogados, que informa que a defesa não foi consultada por Lessa sobre a colaboração.

Além do caso envolvendo a morte de Marielle, Castro e Santana defendem o ex-PM em outras 12 ações. Não está claro, até o momento, se a dupla de advogados seguirá na defesa de Lessa nesses outros processos.