“Eu te amo, meu irmão”, diz familiar de professor assassinado em João Pessoa ao lembrar 15 dias do crime

“Eu te amo, meu irmão. Onde você estiver, estamos com você”. Foi dessa maneira que Lucas Brito lembrou os 15 dias do assassinato do professor Luecy José Brito, morto a tiros no dia 12 deste mês na calçada de uma escola no bairro do José Américo, em João Pessoa. A fala de Lucas foi dada nesta terça-feira (26) durante participação no programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM.

O policial militar aposentado Antônio Francisco Sales, de 81 anos, autor dos disparos contra o professor foi indiciado por homicídio qualificado. O indiciamento foi confirmado pelo delegado Diego Garcia.

O crime foi qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Além disso, a Polícia Civil segue investigando a possiblidade do professor ter sido morto por engano. O alvo do crime cometido pelo militar aposentado seria um irmão de Luecy José Brito.

Em participação no programa Arapuan Verdade, da Arapuan FM, o irmão de Luecy lamentou o fato e disse não conseguir superar a perda do irmão.

“Hoje está  15 dias. Meu coração ainda não conseguiu superar. Onde eu ando vejo a imagem do meu irmão. Pode chegar no José Américo e perguntar quem é filho de Carminha e João. Somos todos de caráter. Não me conformo com a situação que aconteceu na minha família. Não foi tragédia. Foi um assassinato. Nunca esqueça que meu irmão foi assassinado por um bandido e não um policial. Ele tirou a vida de um professor. Meu irmão eu te amo. Onde você estiver, todos nós estamos com você. Não esqueçam, favor! Ele não tem nada de louco. Ele sabia o que estava fazendo”, lamentou o irmão do professor.