Em meio a tensão, Flamengo aprova novo contrato de transmissão com a Globo

Grupo de Landim conseguiu aprovar o novo contrato com a Globo, mesmo com a resistência de opositores aos valores

O Flamengo aprovou, nesta segunda-feira (8), o novo contrato de direitos de transmissão com a TV Globo, visando o Campeonato Brasileiro. O acordo será válido entre 2025 e 2029, contemplando as diretrizes da Libra, a liga emergente do futebol nacional. Os moldes do vínculo, contudo, geraram muita polêmica nos bastidores do Rubro-Negro, que ferveram ao longo da reunião.

A informação foi publicada inicialmente pelo ge e confirmada pela Trivela.

Novo contrato aprovado pelo Flamengo

  • O Flamengo receberá R$ 210 milhões em contrato de cinco anos;
  • O acordo faz parte da nova liga do futebol brasileiro, a Libra;
  • Contrato gerou muita polêmica nos bastidores do Flamengo;
  • O clube da Gávea perderá a vantagem e soberania para os rivais nos direitos de transmissão.

Votação bem apertada

O Conselho Deliberativo do Flamengo se reuniu na Gávea, sede social do clube, na noite desta segunda-feira. As previsões acabaram se tornando realidade quando a votação tomou rumos extremamente acalorados e de muita discussão. Nas urnas, os votos se acumulavam para ambos os lados. Certamente, em algum momento, Landim temeu a derrota, mas pela não veio.

A vitória da situação, contudo, se mostrou muito acirrada. Os moldes do novo contrato foram o principal motivo para que Landim e companhia sofressem com resistência, em especial de Luiz Eduardo Baptista, o BAP, presidente do Conselho Administrativo. A luta foi ganha, mas pode ser um presságio para um ano que promete ser bastante conturbado.

Polêmica por valores baixos

Com o novo acordo, o Flamengo deixa de ganhar pelo menos R$ 80 milhões, na opinião dos opositores. O Rubro-Negro recebeu R$ 290 milhões em 2023, para embolsar R$ 210 milhões nos novos moldes. O valor de mercado, principalmente por se tratar de um clube que movimenta mais de 40 milhões de torcedores, é visto como baixo por uma ala do conselho, ainda que continue sendo o maior do país.

A razão para essa mudança é o fim da garantia nos contratos da Libra. Em acordo realizado antes do início de 2019, e jamais renegociado, o Flamengo conseguiu uma remuneração acima do esperado, baseado no princípio do mínimo repassado pelo pay-per-view. Como os rubro-negros representavam um quinto dos assinantes, o clube conseguia tirar mais.

Foi a partir daí que as polêmicas chegaram. Os opositores demandam explicações, enquanto Landim confirma que não havia nenhuma proposta melhor do que a da Globo. O presidente entende que o Flamengo acabou ficando sozinho, isolado, apenas com a frente paulista demandando mais e, por isso, teve que aceitar um acordo que não ajuda tanto.

Frentes coordenadas por Luiz Eduardo Baptista, nome fortíssimo nos bastidores, além do ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello criticam a postura pouco combativa e omissa de Landim. A grande dúvida é sobre o contrato: se o vínculo entre Libra e Globo foi bem maior, em valores, e o Flamengo recebeu menos, para onde foi essa parcela de dinheiro?

Muitos chegaram a pleitear, após os argumentos de situação e oposição, o adiamento da votação para melhor análise do contrato, mas Landim obteve a sua vitória. Pelo acirramento das coisas, contudo, o ano vai ser complicado para o mandatário, que quer eleger um sucessor na eleição de dezembro.

Por Trivela