Após polêmica, pastel de carne com açúcar vira patrimônio cultural imaterial da Paraíba

Imagem: Reprodução

A proposta foi aprovada na Assembleia Legislativa no última dia 23 de abril e desencadeou uma saraivada de críticas.

O governador João Azevêdo (PSB) sancionou o projeto de lei do deputado Tovar Correia Lima (PSDB) que torna o pastel de carne com açúcar patrimônio cultural imaterial da Paraíba.

proposta foi aprovada na Assembleia Legislativa no última dia 23 de abril e desencadeou uma saraivada de críticas em relação aos argumentos usados pelo deputado.

Ao apresentar o projeto, o tucano disse que o alimento seria uma iguaria única da Paraíba, com raízes profundas na culinária local.

A questão é que o quitute, delicioso (diga-se de passagem), está longe de ser uma comida tipicamente paraibana e, muito menos, exclusiva do estado.

Até porque, o pastel está no gosto das festinhas e docerias de vários outros estados nordestinos, como Pernambuco e Rio Grande do Norte. Só para citar os vizinhos da Paraíba.

O fato de ter ganhado reconhecimento nacional como algo local, após uma postagem de Juliette, também não o torna típico do estado.

Mas, a lógica do tucano é de que se Pernambuco tem o bolo de rolo e o bolo Souza Leão, Alagoas tem a pamonha, a Paraíba também deveria reconhecer o pastel de açúcar como patrimônio.

Além disso, em meio a celeuma com o assunto, Tovar também festejou o fato de comerciantes terem o procurado para agradecer a aprovação da matéria, que fez aumentar as vendas da iguaria, que agora pode ser chamada de patrimônio.

Por Jornal da Paraíba