Duas cidades da Paraíba estão entre as 10 com os maiores índices de analfabetismo do Brasil, diz IBGE

Estudante escrevendo no caderno — Foto: Pixabay/Divulgação

Estado também tem a 3ª maior taxa de analfabetismo do país.

Duas cidades da Paraíba estão na lista dos 10 municípios que possuem os maiores índices de analfabetismo do Brasil entre pessoas com 15 anos ou mais (veja abaixo). Os dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Censo Demográfico 2022, foram divulgados nesta sexta-feira (17).

A cidade de São Domingos ocupa a 8ª posição na lista, com uma taxa de analfabetismo de 33,77%. Já em Vieirópolis, que ocupa a 10ª posição, o índice é de 32,9%.

10 maiores índices de analfabetismo do país (entre pessoas a partir dos 15 anos)

Município Índice de analfabetismo (%)
Alto Alegre (RR) 36,81
Floresta do Piauí (PI) 34,68
Aroeiras do Itaim (PI) 34,63
Massapê do Piauí (PI) 34,3
Paquetá (PI) 34,28
Estrela de Alagoas (AL) 34,2
Padre Marcos (PI) 34,01
São Domingos (PB) 33,77
Alagoinha do Piauí (PI) 33,61
Vieirópolis (PB) 32,9

Por causa disso, o estado também é o segundo com o maior número de municípios nessa lista, ficando atrás apenas do Piauí, que tem oito cidades nesse ranking.

A capital João Pessoa tem um dos índices mais baixos de analfabetismo do estado. Ao todo, são 630.652 pessoas alfabetizadas, que equivalem a 93,87% da população da cidade também na faixa etária a partir dos 15 anos.

O indicador em Campina Grande é parecido com o de João Pessoa. São 308.614 pessoas alfabetizas, que correspondem a 91,97% da população com 15 anos ou mais.

De acordo com o IBGE, 84,04%, sendo um total de 2.645.317 das pessoas são alfabetizadas no estado. Já outros 15,96%, sendo um total de 502.449 pessoas, não são alfabetizados.

A taxa de analfabetismo da Paraíba também é a terceira maior do país, ficando atrás apenas de Alagoas, que ocupa o primeiro lugar na lista, e Piauí, que está no segundo.

Taxa de analfabetismo do Nordeste é o dobro da média nacional

Em todo o Brasil, 11,4 milhões de pessoas com 15 anos ou mais não sabem ler e escrever, o que corresponde a 7% da população nessa faixa etária.

Já o Nordeste continua sendo a região com o índice de analfabetismo mais alto do país inteiro, de 14,2%, e que também é o dobro da média nacional.