João Azevêdo decreta situação de emergência após surto de síndromes gripais em crianças, na Paraíba

D R T . R J .15855.

Entre as medida está a ampliação de 120 leitos pediátricos na rede estadual para atender às 3 macrorregiões de saúde, que irão incrementar os 414 leitos já ativos para o agravo.

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), publicou o Decreto nº 45.059, no Diário Oficial desta sexta-feira (16), onde declara situação de emergência em saúde pública, por 90 dias. A medida faz parte do Plano Estadual de Enfrentamento das Síndromes Respiratórias Agudas Graves aprovado, no último 07, durante 3ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

A situação de emergência de que trata o Decreto, autoriza a adoção de todas as medidas administrativas necessárias ao atendimento da situação atual no estado, onde há uma alta de casos, sobretudo na população infantil. Entre as medida está a ampliação de 120 leitos pediátricos na rede estadual para atender às 3 macrorregiões de saúde, que irão incrementar os 414 leitos já ativos para o agravo. Segundo o secretário de Estado da Saúde, Jhony Bezerra, as unidades de saúde do estado estão preparadas para receber os casos mais agravados e a medida administrativa, vem para agregar o que já vem sido feito pela SES ao longo dos últimos meses.

Na Paraíba, segundo a última atualização de Vírus Respiratórios, com dados de janeiro de 2024 até o último dia 15 de maio, foram registrados 1.599 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) – sendo 211 por Influenza e 135 casos por COVID-19 -, gerando um aumento de 18,01% nas notificações quando comparado ao boletim anterior. A publicação apontou ainda 199 óbitos por SRAG, sendo 53 mortes por Covid-19; 30 por Influenza A e 16 por outros vírus respiratórios.

“É preciso entender que mesmo sendo um decreto de emergência, não é um motivo para pânico da população, é sim um período de atenção e cuidado. Estamos fortalecendo a nossa rede hospitalar, só de UTI serão ampliados mais 20 leitos. Estamos dialogando com os municípios e incentivando a prevenção das síndromes respiratórias por meio da vacina contra a influenza, que está disponível para toda a população. O decreto vem para que possamos, de forma administrativa, realizar incrementos na rede hospitalar, para que possamos atender a todo o estado”, frisa o secretário.

Outra importante estratégia da vigilância em saúde, adotada pela SES, é a Sala Estadual de Situação das SRAG, aberta no último dia 02. É um espaço físico e virtual, de inteligência, onde uma equipe técnica analisa as informações da saúde. Com a sala é possível caracterizar a situação de saúde da população, fortalecendo a capacidade de resposta estadual e local para a tomada de decisão diante do cenário epidemiológico. A iniciativa visa ainda auxiliar na coordenação e execução de forma complementar das ações, controle de riscos e danos à saúde, e conta com a colaboração de diferentes setores nas três esferas de gestão do SUS (União, Estados e Municípios).

O Secretário enfatiza ainda outras ações que vêm sendo realizadas pela pasta “Além do monitoramento, a SES vem promovendo Manejo Clínico das Síndromes Respiratórias Agudas Graves com infectologistas, técnicos do LACEN-PB e área de Epidemiologia e O LACEN-PB vem realizando análises para identificação do agente etiológico. Mensalmente, há divulgação de Boletins Epidemiológicos de Vírus Respiratórios; realização de campanhas de vacinação para múltiplas vacinas – em especial para COVID-19 e Influenza”, explica

A SES reforça que a melhor proteção contra as síndromes respiratórias ainda é a vacinação. No estado, a vacina influenza está sendo disponibilizada para toda a população não vacinada a partir de seis meses de idade, seguindo recomendação do Ministério da Saúde. E com o intuito de ampliar ainda mais a oferta de imunizantes

Por ClickPB