MPT reforça combate à exploração do trabalho infantil nas festas juninas

Foto: Emanuel Tadeu/Divulgação

O Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB) lança nesta terça-feira (28), às 9h, na Vila Sítio São João, em Campina Grande, a Campanha 2024 de Combate à Exploração do Trabalho Infantil no período junino. A ação também faz alusão ao 12 de junho, Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.

A invisibilidade do Trabalho Infantil será abordada em um Cordel inédito, de autoria da poetisa de Campina Grande Anne Karolynne. O material gráfico será lançado na próxima terça-feira (28), na Vila Sítio São João, com apresentação cultural da artista campinense.

Cartazes com versos do Cordel também foram confeccionados e serão afixados em barracas do Parque do Povo, no Distrito de Galante e em outros locais e polos do “Maior São João do Mundo”, que começa na próxima quarta-feira (29). Outros materiais foram produzidos para as ações educativas que serão realizadas no período de 28 de maio a 13 de julho, em Campina Grande. A campanha reforça a mensagem “#ChegaDeTrabalhoInfantil!”.

Casos voltaram a crescer

Após vários anos em queda, o número de meninas e meninos de 5 a 17 anos em situação de trabalho infantil no Brasil cresceu 7% entre 2019 e 2022, chegando a 1,9 milhão, segundo dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-Contínua 2022), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desse total, 66,3% das crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil no País eram pretos ou pardos; 65,1% do sexo masculino e 34,9% do sexo feminino.

Entre 2016 e 2019, o número de crianças e adolescentes nessa situação estava em queda. Em 2016, eram 2,1 milhões e, em 2019, o número caiu para 1,8 milhão. E, em 2022, o número voltou a subir para 1,9 milhão. Os dados evidenciam um retrocesso, que houve distanciamento do cumprimento das metas de erradicação do trabalho infantil.

Para denúncias sobre o trabalho infantil, o cidadão pode ligar para o Disque 100, acessar o aplicativo MPT Pardal o no site do MPT.

 

 

Fonte: Portal Correio