Flamengo prova do próprio veneno e amplia tabu histórico contra o Juventude

0
653

Rubro-Negro até saiu na frente com Pedro, mas sofreu a virada em dois gols em jogadas aéreas dos mandantes

Flamengo perdeu para o Juventude por 2 a 1 na noite desta quarta-feira (26), em jogo válido pela 12ª rodada do Campeonato BrasileiroPedro até abriu o placar para o Rubro-Negro, mas Lucas Barbosa e Luis Mandaca viraram para os mandantes no Alfredo Jaconi.

A liderança isolada do Flamengo acabou ameaçada pelo segundo revés nesta campanha de Brasileirão. Para piorar, o Rubro-Negro acabou sofrendo com as jogadas aéreas, que tinham sido um alicerce nesse momento de vitórias emocionantes.

A derrota também ampliou o tabu histórico do Flamengo em Caxias do Sul. O time não vence o Juventude no Alfredo Jaconi desde o dia 1 de outubro de 1997, há quase 27 anos.

Bolas aéreas: benção ou maldição?

Nesta quarta, o Flamengo acabou provando do próprio veneno no Alfredo Jaconi. Os jogos contra Bahia e Athletico reservaram momentos de forte emoção aos rubro-negros com a bola aérea, já que a equipe buscou a vitória com David Luiz e o empate heroico, no último lance, com Evertton Araújo, respectivamente. Em Caxias do Sul, contudo, o roteiro foi contrário.

O detalhe da jogada não está no gol em si, mas no lance que origina a cobrança de Nenê. Jadson estava de costas, quase na linha de fundo e, mesmo assim, Léo Pereira fez a carga nas costas. Faltou concentração ao zagueiro, que também estava envolvido na bola cabeceada por Lucas Barbosa.

Quem lamentou a falha foi o companheiro de Léo Pereira, Fabrício Bruno. Em entrevista ao Premiere após o apito final da primeira etapa, o defensor mostrou frustração com todo o trabalho feito ao longo da semana, sem sucesso durante a partida.

— A gente treina muito (bola parada), tomamos poucos gols assim. Corrigir, atenção nesses detalhes — disse.

A questão é que o Flamengo acabou não aprendendo com os erros e sofreu a virada na mesma moeda do empate. Luis Mandaca marcou após indecisão da defesa e desvio na primeira etapa que matou qualquer chance de defesa de Rossi.

O que aconteceu de melhor no jogo?

  • Pedro marcou um belo gol, com assistência de Luiz Araújo;
  • O Juventude empatou rapidinho, com Lucas Barbosa;
  • O time rubro-negro acusou o cansaço e teve segundo tempo muito abaixo;
  • Os mandantes aproveitaram para dar números finais à partida, em nova jogada aérea

Por Trivela

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui