A caminho do Prêmio Grande Otelo

0
193
Filme começou a ser produzido durante a pandemia | Imagens: Divulgação

Curta paraibano “Era uma Noite de São João” concorre ao “Oscar brasileiro”, que será entregue em agosto

Apandemia de Covid-19 suspendeu, por dois anos, um dos maiores festejos populares do Brasil: entre 2020 e 2021, o São João teve que ser comemorado de casa ou através de transmissões ao vivo, enquanto a ciência buscava soluções para frear o avanço do vírus. Neste ínterim, um projeto tomava corpo, também de forma remota – o curta-metragem de animação Era Uma Noite de São João, da cineasta paraibana Bruna Velden. Circulando por festivais e mostras desde 2022, o filme foi indicado na semana passada ao Prêmio Grande Otelo, da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais, na categoria melhor curta-metragem de animação.

Imagem: Reprodução

Formada em Design Gráfico pelo Instituto Federal de Educação da Paraíba (IFPB), Bruna revelou em depoimento ao making of da produção, disponibilizado no YouTube, que gostava de passar o São João no município de Santa Luzia, na região da Borborema, costume que teve de deixar de lado em 2020, por conta da Covid. “Soube pelos meus amigos: pela primeira vez na cidade aquele vazio do feriado, não teve festa, não teve nada. Naquele momento, surgiu a ideia para fazer o curta. Parece que o roteiro veio direto na minha mente”, explicou.

O curta de 11 minutos conta a história de Dorinha, uma viúva idosa que passa a noite do São João sozinha em casa, isolada, para se resguardar do coronavírus. Nesta circunstância, ela, então, revive outros anos de festejos juninos – na infância, ao lado dos pais, e, posteriormente, na adolescência. “A nossa população idosa teve que ficar quarentenada mais do que qualquer outra pessoa. Também é uma mensagem do nosso filme, que é destinado ao pessoal da terceira idade”, explica Bruna, no vídeo publicado no canal oficial do filme.

Os custos foram cobertos com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, do Governo do Estado, e do Edital Walfredo Rodriguez de Produção Audiovisual, da Prefeitura de João Pessoa. Boa parte da equipe de Era Uma Noite de São João foi recrutada entre os graduandos e graduados do curso de Design Gráfico do IFPB. Vitor Eloi desenvolveu o design de personagens, enquanto Handersson Mendes esteve responsável por sua identidade visual. Paulo Rocha, Pedro Avelino e Rebeca Linhares assinam como animadores do curta. Bianca Silva e Igor Lins Paes ficaram a cargo dos cenários do filme. Izpetu, por fim, cuidou da ilustração e dos créditos finais. A trilha sonora original foi composta por CH Malves, com participação do sanfoneiro Lucas Dan.

O visual dos personagens, a propósito, foi inspirado por nomes conhecidos da música nordestina: o desenho da protagonista foi conduzido pelo rosto de Mestra Têca do Côco, artista cabedelense; um dos sanfoneiros tem similaridade com Sivuca. Dominguinhos, Marinês e Jackson do Pandeiro também foram homenageados na visualidade das figuras que compõem o curta.

O processo de produção aconteceu remotamente por conta das medidas de distanciamento em vigência no auge da pandemia. Em depoimento concedido ao making of, a produtora Ana Moravi revelou que a etapa da animação foi particularmente difícil, em razão de sua complexidade, aliado ao fato de todos estarem imersos em contexto de emergência sanitária. “O trabalho feito de forma remota perde um pouco a dinâmica dos encontros, das trocas, de você ser inspirado por um colega. Além disso, a gente teve que enfrentar essa coisa dos recursos limitados, o que fez com que a gente tivesse que se dividir em mais de um projeto para nos manter por dois anos”, detalhou.

Cangaço Novo

Também relacionado à Paraíba, a série Cangaço Novo, do Amazon Prime, também recebeu indicações ao Prêmio Grande Otelo. Filmada em Cabaceiras, Sertão paraibano, ela concorre ao prêmio de melhor série brasileira de ficção, considerando as produções independentes, para TV aberta, TV paga ou streaming. Os atores Alice Carvalho, Thainá Duarte e Allan de Souza Lima ainda receberam nomeações como melhor atriz e ator em série de ficção. O elenco de Cangaço Novo conta com vários paraibanos no elenco: Marcélia Cartaxo, Luiz Carlos Vasconcellos, Buda Lira, Daniel Porpino, Dudha Moreira, Fábio Campos, Geyson Luiz, Joálisson Cunha e Vando Farias.

Principais indicados

LONGA/FICÇÃO: Mus­sum, o Filmis; Noites AlienígenasNosso Sonho – A História de Claudinho e BuchechaO Sequestro do Voo 375; Pedágio. LONGA/COMÉDIA: Desapega!; Minha Irmã e Eu; Os Farofeiros 2; Pérola; Saudosa Maloca; Três Tigres Tristes. LONGA/ DOCUMENTÁRIO: Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho; Belchior – Apenas um Coração Selvagem; Elis & Tom – Só Tinha de Ser com Você; Nada Será Como Antes – A Música do Clube da Esquina; Retratos Fantasmas. LONGA/ANIMAÇÃO: A Ilha dos Ilus; Bizarros Peixes das Fossas Abissais; Chef Jack, o Cozinheiro Aventureiro; Perlimps; Uma Noite Antes do Natal. LONGA/ INFANTIL: As Aventuras de Poliana – O Filme; Dois É Demais em Orlando; Turma da Mônica Jovem – Reflexo do Medo; Uma Carta para o Papai Noel; Uma Fada Veio Me Visitar. DIREÇÃO:Anita Rocha da Silveira (Medusa); Carolina Markowicz (Pedágio); Kleber Mendonça Filho (Retratos Fantasmas); Marcus Baldini (O Sequestro do Voo 375); Tomás Portella (Aumenta que É Rock’n’ Roll).ATRIZ: Bárbara Paz (A Porta ao Lado); Débora Falabella (Bem-Vinda, Violeta); Drica Moraes (Pérola); Maeve Jinkings (Pedágio); Vera Holtz (Tia Virgínia). ATOR: Ailton Graça (Mussum, o Filmis); Chico Diaz (Noites Alienígenas); Johnny Massaro (Aumenta que É Rock’n’ Roll); Juan Paiva (Nosso Sonho – A História de Claudinho e Buchecha); Paulo Miklos (Saudosa Maloca). ATRIZ COADJUVANTE: Alice Carvalho (Angela); Aline Marta Maia (Pedágio); Arlete Salles (Tia Virgínia); Cacau Protásio (Mussum, o Filmis); Grace Passô (Levante). ATOR COADJUVANTE: Antônio Pitanga (Tia Virgínia); Gabriel Leone (Rio do Desejo); George Sauma (Aumenta que É Rock’n’ Roll); Gero Camilo (Saudosa Maloca); Jorge Paz (O Sequestro do Voo 375); Yuri Marçal (Mussum, o Filmis).DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA: O Rio do Desejo; Sem Coração; Bem-Vinda, Violeta; Pérola; Mussum, o Filmis; O Sequestro do Voo 375. ROTEIRO ORIGINAL: Mato Seco em Chamas,; Medusa; Pedágio; Propriedade; Tia Virgínia. ROTEIRO ADAPTADO: Pérola; Noites Alienígenas; O Sequestro do Voo 375; Mussum, o Filmis; O Rio do Desejo. SÉRIE/ FICÇÃO, DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE: A Vida Pela Frente; Betinho – No Fio da Navalha; Cangaço Novo; Dom; Fim. SÉRIE/ DOCUMENTÁRIO, DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE: Diretores de Arte; Línguas da Nossa Língua; Massacre na Escola – A Tragédia das Meninas de Realengo; O Caso Escola Base; Viajando com os Gil. SÉRIE/ANIMAÇÃO, DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE: Esquadrão do Mar Azul; O Hotel Silvestre de Ana Flor; Tronik; Zoopedia. ATRIZ/ SÉRIE: Alessandra Negrini (Cidade Invisível); Alice Carvalho (Cangaço Novo); Bianca Comparato (João Sem deus – A Queda de Abadiânia); Marjorie Estiano (Fim); Thaina Duarte (Cangaço Novo). ATOR/SÉRIE: Allan Souza Lima (Cangaço Novo); Bruno Mazzeo (Fim); Fábio Assunção (Fim); Gabriel Leone (Dom); Julio Andrade (Betinho – No Fio da Navalha); Marco Nanini (João Sem Deus – A Queda de Abadiânia). CURTA/FICÇÃO: A Menina e o Mar, de Gabriel Mellin; Os Animais Mais Fofos e Engraçados do Mundo, de Renato Sircilli; Quinze Quase Dezesseis, de Thais Fujinaga; Se Precisar de Algo, de Mariana Cobra; Yãmî Yah-Pá – Fim Da Noite, de Vladimir Seixas. CURTA/ DOCUMENTÁRIO: As Marias, de Dannon Lacerda; Cama Vazia, de Fábio Rogério e Jean-Claude Bernardet; Eu, Negra, de Juh Almeida; Macaléia, de Rejane Zilles; Thuë Pihi Kuuwi – Uma Mulher Pensando, de Aida Harika Yanomami, Edmar Tokorino Yanomami e Roseane Yariana Yanomami. CURTA/ANIMAÇÃO: Era uma Noite de São João, de Bruna Velden; Jussara, de Camila Ribeiro; Lapso, de Mônica Moura; Mulher Vestida de Sol, de Patrícia Moreira; Quintal, de Mariana Netto.

Imagem: Reprodução

Fonte: A União 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui