Após protesto que ‘parou’ rodovia em João Pessoa, secretário diz que Segurança investiga atuação de criminosos no ato: “a resposta vem”

0
159
Foto: Clilson Júnior

O secretário Jean Nunes disse que as forças de Segurança investigam a atuação de criminosos no protesto.

Após o protesto que ‘parou’ a BR-101 em João Pessoa, na segunda (8) e na terça-feira (9), o secretário Jean Nunes disse que as forças de Segurança investigam a atuação de criminosos no ato. Em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta quarta-feira (10), ele declarou que algumas pessoas copiaram, na Paraíba, “coisa errada que vem de fora”.

Os protestos aconteceram após o desaparecimento de dois jovens da região, os quais foram encontrados mortos e decapitados em Bayeux, na Grande João Pessoa, nessa terça-feira. Os rapazes, de 16 e 24 anos, respectivamente, estavam desaparecidos desde a semana passada, quando foram vistos pela última vez em uma sucata em Bayeux, na quinta-feira (4). Um suspeito de envolvimento nos assassinatos foi preso ainda ontem.

“Na verdade, em muitas situações que acontecem no estado, essas pessoas não estão criando nada, estão copiando coisa errada e coisa ruim que vem de fora. De 2019 para cá, nós já vivenciamos, convivemos e interagimos com vários tipos de protestos que foram pacíficos de parte a parte e que não precisou de intervenção”, disse Jean Nunes sobre a proporção que tomou o protesto na rodovia, ao mencionar o fato de que manifestantes jogaram pedras na polícia e em profissionais da imprensa.

Jean Nunes disse que “os secretários e delegados-gerais estão sempre prontos a receber essas pessoas que têm seus clamores, que querem uma investigação mais aproximada, que perderam o filho. Agora, se valendo do discurso de ser um protesto, fazer um movimento violento, bloquear uma via que ali passam tanto viaturas quanto ambulâncias, querer parar uma cidade com violência contra a imprensa e as forças de Segurança… Esse diagnóstico [dos envolvidos] está sendo feito e, se ocorrer casos dessa natureza, a polícia vai desobstruir e identificar.”

“A resposta vem. Não tem crime sem resposta”

O secretário de Segurança e Defesa Social da Paraíba acrescentou que “protesto pacífico é uma coisa. Agora, tentar agir com violência, constranger a população… Porque nós sabemos que tinham pessoas de bem ali que foram constrangidas a ir para o meio da rodovia para não sofrer depois uma represália. Não estão criando nada, estão copiando coisa errada e tentando implantar aqui. Mas a resposta vem. Não tem crime sem resposta.”

O delegado-geral da Polícia Civil, André Rabelo, também destacou que “em breve, a gente dará a resposta à sociedade [sobre a morte dos dois jovens]. Ainda não podemos dar detalhes para não atrapalhar as investigações.”

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui