‘E daí?’: Embaixada do Brasil em Paris é alvo de protesto contra Bolsonaro

single-image

Os muros da embaixada brasileira em Paris, na França, amanheceram nesta quinta-feira, 21, repletos de faixas de protesto contra a política do presidente Jair Bolsonaro para o combate da Covid-19 no Brasil, conforme mostram imagens divulgadas nas redes sociais.

Os panos, todos na cor preta, pedem a saída de Bolsonaro por sua condução da pandemia de coronavírus. Uma das bandeiras penduradas nos muros faz referência à frase “E daí?”, usada pelo presidente ao tratar das milhares de mortes no país. O verde da bandeira brasileira deu lugar a preto, e o lema “ordem e progresso” foi trocado por “caos e obscurantismo”.

As imagens rapidamente viralizaram nas redes sociais e foram postadas primeiramente pelo artista Júlio Villani. “Fora Bolsonaro! Um outro Brasil é possível”, escreveu ele. Pouco depois, a escritora e professora de filosofia na Université Paris 8, Márcia Tiburi, também registrou o protesto em suas redes sociais.

VEJA procurou Julio Villani, Márcia Tiburi e a embaixada brasileira em Paris para comentar o assunto, mas não obteve resposta até o momento. Os autores do protesto não foram revelados. O Itamaraty ainda não se manifestou.

Um dia antes da manifestação, o embaixador do Brasil na França, Luís Fernando Serra, emitiu uma nota ao diretor editorial do jornal francês Le Monde para repudiar um recente artigo no qual o presidente brasileiro é acusado de “provocar caos na saúde e semear a morte”. Segundo Serra, “Bolsonaro nunca negou a existência da Covid-19. O que ele fez desde o início da crise da saúde é tentar evitar histeria ou pânico dominar a população”.

Manifestações contra Bolsonaro em embaixadas brasileiras, como na Suíça, Alemanha e Nova Zelândia, e em grandes eventos, como em reuniões do G7, vêm ocorrendo com frequência desde o ano passado. Tanto por sua política externa, atrelada à dos Estados Unidos e claramente oposta ao multilateralismo, quanto por suas iniciativas domésticas – a negligência no combate aos incêndios na Amazônia no ano passado, as declarações do próprio presidente de cunho autoritário e, agora, o fracasso no controle da pandemia no país -, o governo brasileiro tem sua imagem minada no ambiente internacional.

veja.abril.com.br