ESPERANDO O AMANHECER  (Antonio Ferreira)

465
Antonio Ferreira

Hoje, nesse breu insano

Ouvindo a escuridão

Pelos seus seguidores clamar

Ouvindo os gatos ronronarem

E a lua pelo sol a esperar

Nessa insegurança

Sem saber para onde ir

Com o destino a um dedo do nariz

E não poder senti-lo.

Não enxergando meu destino,

Eu vivo um desatino

Vivo pasmo com a incerteza

E com sentimentos de medo

Por que tanta gente obscurecida?

Por que tanta gente de alma empobrecida?

Sem amor e sem vida?

Espero o amanhecer

A aurora lancinante

Que devora toda ignorância

Que fará o amor reinante

E poder expressar minhas odes em segurança

(Antonio Ferreira)