João Vicente e José de Abreu se manifestam contra nomeação de Mário Frias à Cultura

single-image

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Mário Frias foi nomeado na sexta-feira (19) para comandar a Secretaria Especial da Cultura. O ator irá substituir Regina Duarte, que permaneceu cerca de três meses no cargo, deixando-o no último dia 20 de maio. É a quinta indicação de Jair Bolsonaro para a pasta, escolha que fez com que celebridades se manifestassem.

Alguns, como João Vicente de Castro, optaram pelo deboche. “Mário frias é o novo secretário de cultura. A novidade é que, pela primeira vez na história, alguém tá comentando sobre um papel que ele tá fazendo”, disse se referindo à carreira artística do ex-galã de Malhação (Globo).

Seguindo a linha da ironia, Patrícia Pillar compartilhou uma notícia que falava da nomeação questionando: “É pra rir ou pra chorar?”. Armando Babaioff foi mais direto em seu comentário “Pergunta: O que esperar de Mario Frias na secretaria de Cultura? Resposta: Tornar cada vez mais difícil produzir cultura no Brasil. Próxima pergunta”.

Não satisfeito, Babaioff seguiu as críticas na interação com internautas: “Já era nada. Agora é nada ao cubo”, disse respondendo a uma seguidora que afirmou não esperar coisa alguma de Frias como secretário. Pedro Neschling também se mostrou desesperançoso em relação à indicação. “Mário Frias ocupando o mais alto cargo da Cultura do país. Nem como piada eu pensaria em algo assim. Se você não compreende o quão desastroso isso é, eu sinto muito por todos nós”, postou o ator, filho de Lucélia Santos.

José de Abreu, claro, não se furtou a opinar e foi bem direto em relação ao que pensa dessa indicação. “Um secretário de Cultura que conhece tanto Cultura quanto o Weintraub conhece o Português. Perguntem-lhe o último livro que leu (Cartilha Sodré?), a última peça que viu (Galinha Pintadinha?), a última exposição que viu (Romero Britto em Miami?), postou no Twitter, criticando o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub e o pintor e escultor Romero Britto.

Já a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) mostrou-se feliz com a escolha do artista para a pasta. “Recebemos com entusiasmo a notícia da nomeação do ator Mário Frias como secretário de Cultura do Governo Federal. Acredito que a gestão de Mario Frias será muito positiva, considerando sua vasta experiência como produtor, ator e empresário. Seja muito bem-vindo”.

A polêmica envolvendo o nome de Frias como Secretário da Cultura começou antes mesmo do ator assumir o cargo. No início de maio, em entrevista à CNN, ele disse que estaria pronto para ocupar a pasta que ainda era ocupada por Duarte à época.

Ao terminar a entrevista, Rodolfo Gottino e Daniela Lima, que ancoravam o 360º, convocaram o comentarista Fernando Molica para analisar a saída e eventual substituição da atriz. “Deixa eu chamar o Molica para conversa. A Regina Duarte está no cargo, mas o Mário Frias disse que já está pronto, se precisar ele assume. Molica, pra gente entender um pouco mais desta história, né?”, falou Gottino, visivelmente segurando o riso.

“Pois é. Ele levantou o dedo, né? Ele disse: ‘Mario Frias, presente!'”, respondeu o comentarista surpreso com a atitude do ator, levando os apresentadores do telejornal às gargalhadas e, em seguida completando o comentário: “Eu fiquei bem impressionado com a sinceridade dele, porque quando alguém é cotado para um posto, normalmente diz: ‘Não, que é isso? Respeito muito o fulano ou a fulana, gosto muito do presidente ou do governador, nenhum momento fui sondado’. Ele levantou o dedo e falou: ‘Tô na área'”.

Frias usou as redes sociais para criticar a postura dos jornalistas. “Eu fiquei um tanto surpreso pois durante o programa eu não percebi esse tom sarcástico, um tanto quanto antiprofissional imposto por esses repórteres dessa emissora de TV. Eu tenho vasta experiencia e nunca havia sido tratado dessa maneira”, lamentou à época.

Deixe seu comentário