MPPB pede ressarcimento de R$134 mi e perda dos mandatos de Cida e Estela

27
Estela Bezerra - Foto: Divulgação

O Ministério Público da Paraíba pede a perda dos mandatos das deputadas Estela Bezerra (PSB) e Cida Ramos (PSB) e o ressarcimento de, pelo menos, R$134 milhões, dos suspeitos apontados como envolvidos no esquema de desvio de recursos através das Organizações Sociais que atuavam no Estado da Paraíba. Os requerimentos foram feitos em denúncia, divulgada nesta segunda-feira (13).

O valor de R$134 milhões, conforme o MP, é um valor correspondente ao prejuízo material relacionados aos crimes contra a Administração Pública. O pedido seria baseado ainda na ‘extrema gravidade’ dos crimes praticados’. Ainda de acordo com o órgão, a quantia também seria somada ao fato de que os prejuízos, decorrentes da corrupção, são difusos e pluriofensivos.

“Lesão à administração pública, à moralidade e, inclusive, à respeitabilidade do Executivo e do Legislativo do Estado da Paraíba, sem falar dos reflexos negativos das ações da Orcrim sobre a fruição de diversos sireitos fundamentais da população paraibana, em áreas sensíveis e caras: Saúde e Educação”, lista o Ministério Público.

A deputada Estela Bezerra chegou a ser presa no âmbito da sétima fase da Operação Calvário, mas foi solta diante da decisão da Assembleia Legislativa, que possui a prerrogativa de reveter a prisão de parlamentares. Conforme o extrato de decisão do Tribunal de Justiçam da Paraíba, Estela seria “uma das principais articuladoras da organização criminosa’ e responsável pela estruturação das atividades das organizações sociais.

Cida Ramos foi alvo de busca e apreensão da última fase da Calvário e conforme aponta o relatório da Justiça, Cida ‘seria uma das mais fiéis integrantes da empresa criminosa, escolhida para representar os interesses da organização criminosa’ nos poderes executivo e legislativo. Cida também seria ‘umbilicalmente’ ligada a Ney Robisson Suassuna.

MaisPB