Representantes do TJPB, acompanhados do secretário de Segurança Pública, visitam Fórum de Alagoa Grande

23

Uma das ações é a implantação do Projeto Acesso Seguro, que tem por objetivo controlar o acesso das pessoas às unidades da Justiça estadual

Na manhã desta terça-feira (26), os juízes auxiliares da Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, Rodrigo Marques, Gustavo Procópio e Meales Melo, em companhia do secretário de Segurança Pública do Estado, Jean Nunes, estiveram na Comarca de Alagoa Grande para se inteirar do assalto acontecido na noite dessa segunda-feira (25) no Fórum local, ocasião em que foram levadas 61 armas pelos bandidos.

Também estava presente o gerente da Assessoria Militar do TJPB, coronel Gilberto Moura, e equipe.

De acordo com o juiz Rodrigo Marques, a visita teve o objetivo de prestar total apoio ao juiz e diretor do Fórum, José Jackson Guimarães. “Estamos todos aqui solidários e empenhados no intuito, tanto de apoiar moralmente o juiz, como também elucidar esse grave delito. As equipes de inteligência da Polícia Civil e da Polícia Militar estão em campo. Nós já temos algumas informações importantes. Um dos meliantes foi baleado e seu celular apreendido. Acreditamos que, num curto espaço de tempo, teremos já uma solução definitiva para esse caso específico”, afirmou.

O magistrado explicou que o caso ocorrido em Alagoa Grande é um fato isolado no Estado. “A nossa equipe de segurança segue as diretrizes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e as determinações da Presidência do Tribunal de Justiça, no sentido de recolher, com a periodicidade máxima de um mês, todas as armas dos fóruns”, ressaltou. No caso de Alagoa Grande, houve um equívoco por parte de um servidor do Fórum, que não enviou ofício à Assessoria Militar para o recambiamento das armas.

“Nossas equipes estão correndo todas as comarcas do Estado da Paraíba, de Cabedelo a Cajazeiras, com periodicidade de, no máximo, um mês, com o intuito justamente de se evitar esse tipo de ocorrência. O que aconteceu no Fórum de Alagoa Grande foi uma exceção e não pode ser levada como regra. Outras providências, agora, serão tomadas, com a colaboração e a prestimosidade do secretário de Segurança Pública”, destacou Rodrigo Marques.

O gerente da Assessoria Militar do TJPB, coronel Gilberto Moura, informou que as armas levadas pelos assaltantes foram recuperadas pela Polícia Militar e estão sendo catalogadas pela Assessoria Militar do Tribunal. Ato seguinte, elas serão encaminhadas ao Exército para destruição.

“A partir desta terça-feira, com a assinatura do Termo de Cooperação entre o Tribunal de Justiça da Paraíba e a Polícia Civil, as armas objetos de processos criminais não ficarão mais guardadas nos fóruns, ficarão, agora, sob a responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública do Estado”, enfatizou.

O secretário de Segurança Pública do Estado, Jean Nunes, considerou o fato como lamentável e garantiu que todos os esforços estão sendo envidados no sentido da elucidação imediata do caso. “Estamos aqui para demonstrar o compromisso do Governo do Estado em unir forças com o Tribunal de Justiça no sentido de elucidar esse crime o mais rápido possível e dar uma resposta à sociedade”, pontuou.

O juiz José Jackson Guimarães, diretor do Fórum de Alagoa Grande, destacou o apoio recebido por parte da Presidência do Tribunal de Justiça. “Eu só tenho que louvar a iniciativa do Tribunal, que logo cedo já mandou toda a sua equipe para tentar minimizar essa ousadia. A Justiça tem que dar uma resposta muito rápida a isso que aconteceu”. Segundo ele, várias medidas de segurança já foram anunciadas pelo TJPB para o Fórum da cidade.

Uma das ações é a implantação do Projeto Acesso Seguro, que tem por objetivo  controlar o acesso das pessoas às unidades da Justiça estadual, seguindo procedimentos de identificação, inspeção de segurança, submissão ao aparelho detector de metais e utilização de crachá de identificação. “É importante a implantação desse projeto, porque a gente vai ter um controle maior de todas as pessoas que têm acesso ao interior do Fórum”, destacou a juíza Michelini de Oliveira Dantas Jatobá, gestora do Acesso Seguro.

clickpb.com.br