João Pessoa deve registrar em 2020 um número recorde de candidatos a prefeito desde que as eleições municipais voltaram a ser disputadas, em 1988. Até o momento, são 14 pré-candidaturas definidas em convenções e, mesmo que esse número ainda possa mudar até o prazo final de homologação (por causa de indeferimentos ou desistências), dificilmente a marca não será superada.

Isso porque o número de pré-candidatos é quase o dobro da maior marca até então. Em 1996, oito pessoas postularam o cargo de prefeito de João Pessoa, o maior número até então nesses 32 anos de redemocratização. Isso quer dizer que seis candidaturas precisariam ser canceladas agora em 2020 para que o número ficasse igual ao da disputa daquele ano.

Curiosamente, o provável recorde acontece justamente na eleição seguinte àquela que registrou o menor número de candidaturas. Quatro anos atrás, em 2016, eram apenas quatro os candidatos.

Apesar do aumento no número, no entanto, isso não resulta numa maior participação de mulheres no pleito. Foi também em 1996 que se registrou o maior número de candidatas, num total de três. Desta vez, ao menos por ora, são apenas duas as candidatas.

Ainda com relação ao gênero, as primeiras eleições, de 1988 e de 1992, não registraram nenhuma candidatura de mulheres. Em 1992, contudo, a candidata do PDT inicialmente seria Lúcia Braga, mas ela teve a postulação indeferida por ser esposa de Wilson Braga, que havia sido eleito prefeito em 1988. À época, ainda não era permitida a reeleição, o que impedia a sucessão por parte de parentes de primeiro grau.

Lúcia Braga acabou indicando Chico Franca como substituto e ele acabou sendo eleito em segundo turno, o que mostrava que muito provavelmente ela seria eleita se fosse a candidata. Quatro anos depois, contudo, ela foi derrotada no segundo turno, na única vez que uma mulher disputou essa segunda fase das eleições na capital paraibana.

Em ordem alfabética, os candidatos de momento para a Prefeitura de João Pessoa em 2020 são Anísio Maia (PT), Camilo Duarte (PCO), Carlos Monteiro (Rede), Cícero Lucena (Progressistas), Edilma Freire (PV), João Almeida (Solidariedade), Nilvan Ferreira (MDB), Pablo Honorato (PSOL), Rafael Freire (UP), Rama Dantas (PSTU), Raoni Mendes (Democratas), Ricardo Coutinho (PSB), Ruy Carneiro (PSDB) e Wallber Virgolino (Patriota).

G1