Netflix: Enola Holmes dá novo rumo à carreira de Millie Bobby Brown

Revelada como a Eleven da série Stranger Things, Millie Bobby Brown cresceu e apareceu. Aos 16 anos, torna-se, além de protagonista, produtora de Enola Holmes. Seria um passo maior que a perna? Pelo resultado do novo filme da Netflix, parece que não.

Millie ainda tem limitações como atriz dramática, mas sua energia e seu carisma mostram que a mocinha está no caminho certo, sobretudo no intuito de ampliar o circuito de fãs, a partir de agora não mais restrito aos adolescentes.

O longa-metragem, além de ser uma aventura de época investigativa, traz à tona ingredientes contemporâneos, como o empoderamento feminino teen, numa trama ambientada em 1884. Bingo! Millie quer dar seu recado às novas gerações com uma personagem singular do passado.

Continua após a publicidade
Enola foi criada por uma mãe (Helena Bonham Carter) de ideais feministas e, em vez dos bordados, a filha aprendeu artes marciais. Com o misterioso sumiço dela, a adolescente é obrigada a voltar a conviver com seus dois irmãos mais velhos, Sherlock (Henry Cavill) e Mycroft (Sam Claflin), que retornam de Londres para a propriedade rural da família. Como Enola é inquieta, consegue se livrar e segue seu faro de detetive para reencontrar a mãe.

Além de ágil e espirituoso, o filme tem um trunfo para conquistar o espectador: Enola, não raras vezes, fala diretamente para a câmera, como se pedisse a cumplicidade de quem acompanha sua intrépida trajetória. É um truque narrativo que faz toda a diferença.