O dólar fechou perto da estabilidade ante o real nesta terça-feira (29), depois de oscilar entre altas e baixas, com o mercado mostrando indefinição diante de contínua apreensão do lado fiscal, intensificada na véspera pela proposta apresentada para financiar o Renda Cidadã.

Na sessão, a moeda norte-americana teve variação positiva de 0,14%, a R$ 5,6428 na venda, nova máxima desde 20 de maio (R$ 5,6902).

Ao longo do dia, a cotação atingiu a mínima do dia ainda na primeira hora de pregão, de R$ 5,6064 (-0,51%), depois ganhou força antes de voltar a recuar.Moeda norte-americana subiu 0,14% após oscilar entre R$ 5,60 e R$ 5,68 ao longo do dia

Em torno de 11h30 as compras voltaram ao mercado, e o dólar foi à máxima do dia por volta de 13h (de R$ 5,6795, valorização de 0,79%). A moeda desacelerou os ganhos até 14h31, a partir de quando se estabilizou até o fechamento.
De forma geral, o mercado mostrou cerca “ressaca” da turbulência da véspera, quando o dólar disparou após notícia de que os recursos que bancariam o programa Renda Cidadã não viriam de cortes de gastos, mas sim de dinheiro de precatórios, do Bolsa Família (que será extinto) e do Fundeb.

R7