Condenados por chefiar quadrilhas de milicianos e apontados como fundadores da chamada Liga da Justiça, os irmãos Natalino e Jerominho Guimarães foram alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) nesta quinta-feira (12).

Segundo a PF, a Operação Sólon investiga uma suposta lavagem de dinheiro do grupo paramilitar para financiar campanhas eleitorais no Rio de Janeiro.

Segundo as investigações, Jerominho e Natalino estariam almejando cargos no Legislativo e no Executivo, nas eleições de 2020, para retomar o poder que possuíam na Zona Oeste.

Os irmãos não são candidatos. Carmen Gloria Guinancio Guimaraes Teixeira, a Carminha Jerominho, filha de Jerominho, disputa uma vaga na Câmara de Vereadores do Rio pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB).

Doze mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 16ª Zona Eleitoral. A Justiça não emitiu mandados de prisão porque a lei eleitoral restringe detenções na semana do pleito — apenas pegos em flagrante são presos.

A operação mobilizou 85 policiais federais, que foram procurar provas nas casas dos suspeitos, em comitês de campanhas e em empresas ligadas aos envolvidos.

G1