SÃO PAULO – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou neste sábado, 9, que faltam documentos para avaliar o pedido de uso emergencial da Coronavac, a vacina contra a covid-19 desenvolvida em parceria entre o Instituo Butantã e a farmacêutica chinesa Sinovac.

O pedido para uso emergencial foi solicitado na sexta-feira, 8, pelo Butantã. Nesta semana, o governo João Doria divulgou que a vacina teria eficácia de 78% contra casos leves do novo coronavírus e de 100% para quadros graves.

“A partir da triagem, a Anvisa enviou hoje, sábado, 09/01, ofício ao Instituto Butantan solicitando a apresentação dos documentos técnicos faltantes, previstos no Guia 42/2020 (Requisitos para submissão de solicitação de autorização temporária de uso emergencial Vacinas – COVID-19), bem como nos regulamentos técnicos da Agência”, diz a Anvisa, em comunciado. “O recebimento do ofício foi confirmado pelo Butantã às 11h29 de hoje.”

Terra