O Instituto Butantan informou no final da tarde desta sexta-feira (15) que recebeu o ofício do Ministério da Saúde com pedido de entrega imediata de seis milhões de doses da CoronaVac. Em resposta, o instituto disse que questionou o governo federal sobre a quantidade de doses que seria destinada ao estado de São Paulo.

“Para todas as vacinas destinadas pelo instituto ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), é praxe que uma parte das doses permaneça em São Paulo, estado mais populoso do Brasil”, alega o instituto, em nota. “Isso acontece, por exemplo, com a vacina contra o vírus influenza, causador da gripe. Portanto, o instituto aguarda manifestação do Ministério também em relação às doses da vacina contra o novo coronavírus.”

Mais cedo, em entrevista coletiva, o governador de São Paulo, João Doria, disse que, das 6 milhões de doses disponibilizadas ao país, 1,5 milhão ficariam em São Paulo.

 
r7