Dainha Batera era baterista da banda Tuaregs e professor de bateria na capital. Velório acontece no bairro do Tambiá.

Está sendo velado na tarde desta segunda-feira (25) o corpo do baterista Jailson Bandeira Bezerra, o Dainha Batera. Ele era integrante da banda Tuaregs e morreu no domingo (24), após ter o veículo que dirigia atingido por um carro de luxo em alta velocidade cujo condutor estava fugindo da polícia, em João Pessoa.

O velório de Deinha acontece na Funerária São João Batista, no bairro de Tambiá, e deve acontecer até as 16h. Segundo a família, após o velório haverá um cortejo até o cemitério Santa Catarina, no Bairro dos Estados, onde acontecerá o sepultamento.

A morte do músico aconteceu em um cruzamento no bairro de Manaíra. Segundo a Polícia Militar, o condutor de uma BMW não respeitou a ordem de parada dos policiais, fugiu por três quarteirões e foi preso após causar o acidente. Jailson Bandeira não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Nas redes sociais, a banda Tuaregs lamentou a morte do músico. “Sabe aquele cara de boa, que você nunca via de mau humor? Dainha, cara, infelizmente a gente não vai ter mais você nos shows, mas fica aqui o nosso respeito e gratidão pelo tempo que passamos juntos, pelo cara batalhador que você era”, diz a publicação. Jailson Bandeira, além de baterista, também era professor de bateria.

O motorista da BMW que causou o acidente, que não teve o nome divulgado, foi indiciado por homicídio doloso, segundo o delegado Carlos Othon. O carro que ele dirigia era importado e modificado para rachas.

Segundo a Polícia Militar, no dia do acidente, ele já havia batido em outro veículo e os policiais ordenaram a parada dele por direção perigosa. O motorista ignorou a ordem e acelerou, passando por vários cruzamentos sem respeitar a preferência das outras vias.

Por volta das 16h, a BMW atingiu o carro que Dainha dirigia no cruzamento da Avenida Esperança com a Rua Franca Filho. Com o impacto, o carro de luxo ficou destruído e o veículo da vítima atingiu outro carro que estava parado. O Corpo de Bombeiros teve que ser acionado para remover o corpo do músico das ferragens.