Vamos começar hoje com um trecho da Bíblia Sagrada que consta da primeira carta do apóstolo Paulo aos Coríntios – capítulo 13, versículo 1, está escrito:

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”. 

Com certeza já lemos ou ouvimos a citação acima, na canção Monte Castelo de autoria do cantor e compositor Renato Russo. 

Atualmente falar de amor parece ser algo comum.  Nós, enquanto seres humanos, buscamos encontrar o verdadeiro amor, e lendo esse belíssimo trecho da Bíblia aprendemos que o amor não é apenas um sentimento, é uma atitude baseada na essência de Deus – Ele é amor.   Como cristãos que somos devemos ter algumas atitudes que demonstrem esse amor, como por exemplo:  sermos pacientes, não sermos ciumentos, não sermos egoístas procurando apenas nossos próprios interesses….  Muitas vezes também não conseguimos entender o porquê amar?

Mas uma certeza que temos é que o amor é libertador.

Precisamos reconhecer e nos libertar de algumas ações distorcidas de “amor”, que muitas vezes de forma bem discreta… tímida até,  assumem uma roupagem de carinho, cuidado,  uma forma bonita e formosa de amor e ao final a intenção real é trazer em cadeias nossos sentimentos e emoções, colocando sobre nós fardos de preocupações excessiva, ressentimentos, culpas, abusos e muitas vezes nos subjugando, superprotegendo com comportamentos possessivos em graus extremos que geram até impulsos homicidas,  em nome de um amor que só traz dor e opressão e tiram de nós o livre arbítrio dado por Deus.

Quando Deus nos criou Ele nos deu livre arbítrio, nos deu poder de escolha.   Amar é uma decisão.  Nós amamos porque Ele nos e nos ensinou e nos amou primeiro.  Essa é a verdade apresentada na Bíblia em 1° João – capítulo 4, versículo 19 – onde está escrito:

“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro”.

Descansar nesta certeza nos faz LIVRES e nós não nos submeteremos a jugo de escravidão.  Essa declaração temos na Bíblia Sagrada, na carta aos Gálatas – capítulo 5, versículo 1 – onde está escrito:

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou.  Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão”. 

Vamos juntos, pensar sobre esse sentimento tão procurado e alcançá-lo, desfrutando de dias melhores sempre!

 

Pastora Edite Fidelis

Compartilhe nas redes socais:

Facebook Comments