O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade Básica de Saúde Paratibe II, no bairro de mesmo nome, em João Pessoa. Segundo o Conselho, local apresenta estrutura física precária, com mofo, fungos, esgoto aberto próximo à entrada, uma caixa d’água com risco de cair, além do risco de infecção cruzada, já que não há um fluxo definido para pacientes com síndrome gripal.

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade Básica de Saúde Paratibe II, no bairro de mesmo nome, em João Pessoa. Segundo o Conselho, local apresenta estrutura física precária, com mofo, fungos, esgoto aberto próximo à entrada, uma caixa d’água com risco de cair, além do risco de infecção cruzada, já que não há um fluxo definido para pacientes com síndrome gripal.

“A unidade não tem as mínimas condições de funcionamento. É um risco para os profissionais e para os pacientes”, destacou o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa. Ele acrescentou que o Conselho irá enviar o relatório sobre a vistoria à diretoria técnica da UBS, à secretaria municipal de saúde, ao Ministério Público e à Defensoria Pública.

A interdição da unidade começa às 0h desta terça-feira (02). A partir deste horário, os médicos que trabalham no local ficam impedidos eticamente pelo CRM-PB de prestarem os seus serviços.

Resposta da PMJP

O secretário municipal de Saúde, Fábio Rocha, afirmou que estava ciente dos problemas existentes na unidade e que eles já vinham ocorrendo desde a gestão anterior. Ele afirmou que já existe um projeto de reforma da unidade, que será iniciado em breve.

O gestor explicou que pelos próximos dois meses, os pacientes da UBS Paratibe II agora serão atendidos em outra unidade, a UBS Rosa de Fátima, que fica a cerca de 850 metros da unidade interditada.