Mesmo com a proibição de eventos de carnaval por todo o país por causa da pandemia da Covid-19, aglomerações não deixaram de acontecer ao longo deste final de semana e na noite de sexta-feira (13).

 

Multidões sem máscaras em praias, ruas, bares lotados e festas foram registradas em diversas cidades do Brasil. As forças de segurança e fiscalização encerraram os eventos. Houve até uma festa convocada por “influencers” nas redes sociais, que reuniu 3.000 pessoas em Campinas (SP).

Segundo o infectologista Álvaro Furtado Costa, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ambientes assim são “totalmente propícios” para a transmissão do coronavírus. “De novo, a gente (pode ter que) dar passos para trás. E sem levar em consideração o cenário de variação genética, estar longe de uma cobertura vacinal, isso deixa a gente bastante preocupado”, afirmou em entrevista à GloboNews.

Na sexta-feira(12), primeira noite do feriado de carnaval na cidade do Rio de Janeiro, aglomerações, festas clandestinas e eventos foram interrompidos. Houve flagrantes de desrespeito às normas contra a Covid-19 até no mar. Um dos flagrantes foi no Parque União, na Maré, onde o cantor Belo se apresentou em uma escola pública. Imagens do Globocop mostraram a quadra lotada diante de um palco com luzes e amplificadores de som.

O sábado (13) também foi de aglomerações na cidade, como no bairro do Leblon, na Zona Sul. Na manhã deste domingo (14), a Lapa ainda tinha movimentação da noite anterior, com pessoas consumindo bebida alcoólica de pé em frente a um bar, sem máscaras. Desfiles e blocos estão proibidos.

De sexta-feira à noite até a madrugada desde domingo, equipes da Prefeitura do Rio realizaram 43 inspeções sanitárias, aplicaram 25 multas e interditaram 14 estabelecimentos por causa de aglomerações.

Rio Grande do Norte

Aglomeração é registrada na praia da Pipa durante o sábado (13), mesmo com proibição de festas de carnaval. — Foto: Reprodução

Aglomeração é registrada na praia da Pipa durante o sábado (13), mesmo com proibição de festas de carnaval. — Foto: Reprodução

Mesmo com a proibição de eventos de carnaval no Rio Grande do Norte, vários casos foram registrados desde a última sexta-feira (12), principalmente em Natal e na famosa praia da Pipa no município de Tibau do Sul. A Polícia Militar informou que registrou pelo menos 16 aglomerações neste sábado (13) em todo o estado, mas não especificou as localidades. Não houve presos.

Em Natal, capital do estado, a prefeitura interditou um evento de rua com aglomeração de cerca de 200 pessoas. A Guarda Municipal de Natal informou que realizou fiscalização conjunta com outros órgãos municipais e estaduais, que resultou em apreensões de equipamento de som, interdição de bloco carnavalesco e notificações de bares. Na noite de sábado (13), uma multidão de pessoas foi vista na praia da Pipa, em Tibau do Sul, apesar da prefeitura do município ter emitido um decreto proibindo eventos.

São Paulo

Operação da GCM em Sorocaba encerra festas clandestinas — Foto: Divulgação

Operação da GCM em Sorocaba encerra festas clandestinas — Foto: Divulgação

Na capital paulista, a Vigilância Sanitária estadual fechou 11 estabelecimentos e aplicou 22 multas após flagrantes de desrespeito às normas da quarentena na cidade de São Paulo ao longo das noites de sexta-feira (12) e deste sábado (13). O ponto facultativo do carnaval foi cancelado tanto pela Prefeitura de São Paulo como pelo governo do estado. Atualmente, a cidade está na fase amarela e, com isso, bares podem funcionar até as 20h, com público limitado a 40% da capacidade total.

De acordo com o órgão da Secretaria Estadual da Saúde, as multas se deram por aglomeração, desrespeito ao uso obrigatório de máscaras em locais públicos, funcionamento além das 20 horas e promoção de festas. No total, a Vigilância fez 62 inspeções. Um dos locais autuados na noite deste sábado (12) foi a balada Amata, em Pinheiros, Zona Oeste. De acordo com a Vigilância Sanitária, havia aglomeração, pessoas sem máscara e o local foi esvaziado. A assessoria de imprensa do estabelecimento nega que a festa tenha sido encerrada.

Balada em Pinheiros com clientes sem máscara  — Foto: Arquivo pessoal

Balada em Pinheiros com clientes sem máscara — Foto: Arquivo pessoal

Em outras cidades do estado, como Campinas, Sorocaba e Limeira, forças-tarefas de fiscalização e segurança encerraram festas clandestinas e aglomerações em bares.

Em Campinas, apenas na noite deste sábado (13), cerca de 13,3 mil pessoas em 16 festas clandestinas foram dispersadas. Em dois dos locais fiscalizados, havia pelo menos 3 mil pessoas reunidas, em cada um deles.

Uma das festas encerradas pelas autoridades foi convocada por “influencers” nas redes sociais e reuniu cerca de 3 mil pessoas. Em um dos stories publicado horas antes da festa, um rapaz que se identifica como organizador diz que estava liberada a presença de adolescentes a partir de 14 anos, que haveria segurança reforçada no local e cobrança de taxa para quem trouxesse bebida de fora. De acordo com a Guarda Municipal, o evento, realizado em uma chácara, de fato reuniu muitos adolescentes e pessoas de fora da cidade.

Festa clandestina em Campinas (SP) contou com a convocação de diversos influencers — Foto: Reprodução

Festa clandestina em Campinas (SP) contou com a convocação de diversos influencers — Foto: Reprodução

 
G1