O Brasil registrou nesta sexta-feira 1.337 novos óbitos em decorrência da covid-19, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 252.835, informou o Ministério da Saúde.

Também foram notificados 65.169 novos casos de coronavírus, com o total de infecções confirmadas atingindo 10.455.630, acrescentou a pasta. A contagem diária de infectados superou o patamar de 60 mil pelo quarto dia consecutivo.

Na véspera, o Brasil se tornou o segundo país a ultrapassar a marca de 250 mil mortes pela covid-19, após os Estados Unidos. O país é também o terceiro com maior número de casos, atrás somente dos EUA e da Índia.

Em meio ao pior momento da pandemia, o Brasil segue uma sequência de balanços altos. Nesta sexta-feira, 26, a média móvel de mortes por covid-19, que registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana, ficou em 1.148. Segundo o consórcio de veículos de imprensa, foram registrados 1.327 novos óbitos e mais 63.908 casos da doença nas últimas 24 horas.

No total são 252.988 mortes registradas e 10.457.794 pessoas contaminadas no Brasil, segundo o balanço mais recente do consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Os dados foram divulgados às 20h.

Em boletim publicado nesta sexta-feira, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou que os leitos de terapia intensiva no país atingiram nesta semana o maior nível de ocupação desde o início da pandemia, como resultado do aumento da transmissão do vírus.

A Fiocruz também vê 17 capitais com capacidade de atendimento pela rede pública em situação crítica.

Estado brasileiro mais afetado pela doença em números absolutos, São Paulo atingiu as marcas de 2.026.125 casos e 59.129 mortes.

O secretário de Saúde paulista, Jean Gorinchteyn, lamentou nesta quinta-feira um recrudescimento das taxas de internação nos hospitais do Estado, afirmando que houve avanço de 13% no indicador ao longo da última semana.

“Hoje temos 6.767 pacientes internados nas UTIs. Este número é 510 pacientes a mais do que aquilo que nós tivemos no pico da primeira onda e, pasmem, 357 pacientes a mais do que tivemos na segunda-feira”, disse Gorinchteyn em entrevista coletiva.

Conforme os números do Ministério da Saúde, Minas Gerais é o segundo Estado com maior número de infecções pelo coronavírus, com 869.230 casos, mas o Rio de Janeiro é o segundo com mais óbitos contabilizados, com 32.909 mortes.

O ministério ainda reporta 9.355.974 pessoas recuperadas da covid-19 e 846.821 pacientes em acompanhamento no País.

Com informações da Reuters e do Estadão Conteúdo