O ex-chanceler Celso Amorim avaliou que a perseguição política contra o ex-presidente Lula foi uma reação dos Estados Unidos ao descobrimento das reservas do pré-sal e da aproximação do Brasil com seus rivais geopolíticos, como China e Rússia.

“O que deslanchou o lawfare, além de vários outros fatores, como o protagonismo internacional do Brasil e dos BRICS, foi principalmente o petróleo. A descoberta do pré-sal, o fato de nós termos preservado para a Petrobras o controle das reservas, estar se aproximando da China e da Rússia, que são rivais estratégicos dos Estados Unidos, isso fez com que o ‘Estado profundo’ dos setores de inteligência reagisse”, disse, em entrevista à TV 247.

O ex-ministro disse ainda que, além das empresas, o Estado norte-americano tem interesse em controlar recursos brasileiros: “Esta é uma questão de controle. Eles querem ter certeza de que num momento de crise eles podem manter fontes de recursos”, afirmou.