Queiroga será o 4º nome a ocupar o ministério –um dos mais importantes do governo. Já passaram por lá os também médicos Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. Ambos deixaram a pasta depois de desentendimentos com o presidente.

Com a saída de Teich, o general da ativa Eduardo Pazuello assumiu a pasta –ainda interinamente– em 15 de maio. Foi efetivado em 16 de setembro, ficando lá até esta 2ª feira (15.mar).

Pandemia x ministros

Eis a quantidade de vítimas e diagnósticos confirmados na gestão de cada um dos ministros da Saúde:

Henrique Mandetta: 30.449 casos e 1.933 mortes em 50 dias de gestão da pandemia (ou seja, considerando como ponto inicial a data em que o 1º diagnóstico foi confirmado, 26 de fevereiro de 2020). Média de 609 casos e 39 mortes por dia;
Nelson Teich: mais 18.7774 casos e 12.884 mortes confirmados em 28 dias de gestão. Média de 6.706 casos e 460 mortes por dia;
Eduardo Pazuello: mais 11.301.386 casos e 264.469 mortes em 304 dias de gestão. Média de 37.176 casos e 870 mortes por dia.