O Kremlin disse “esperar” não ter de proibir as redes sociais estrangeiras, enquanto as criticava por seus critérios de moderação de conteúdo, especialmente político – declarou seu porta-voz, Dmitri Peskov, nesta terça-feira (30).

No início de março, as autoridades russas deram um primeiro alerta ao Twitter e desaceleraram seu funcionamento, acusando-o de não ter suprimido conteúdos “ilegais” de sua plataforma.

Moscou deu ao Twitter um mês para agir, sob pena de um apagão total. E deu a entender que o Facebook, ou o YouTube, podem ser os próximos.

As autoridades russas criticam, em especial, a difusão de conteúdos de apoio ao opositor Alexei Navalny.

“Me agradaria esperar que não tenhamos que chegar a este ponto e que terão sido encontrados meios para resolver o conflito”, disse Peskov ao jornal Argoumenty i facty, nesta terça.

R7