Rogério Caboclo, presidente da CBF, entidade máxima do futebol brasileiro, foi denunciado na Comissão de Ética e Diretoria de Governança e Conformidade da própria instituição, onde uma funcionária afirma receber abusos desde abril do ano passado. Segundo a mulher, ela afirma ter provas contundentes.

Na denúncia, a funcionária relata que durante esse período houve episódios constrangedores, como no dia que o presidente perguntou se ela se “masturbava”, ou no dia que ele ofereceu biscoito de cachorro para ela, chamando-a de cadela.

Parte desses episódios aconteciam diante de vários diretores da CBF, sendo de conhecimento de todos os abusos. Segundo a denúncia, em todos os episódios o presidente estava sob efeito de álcool.

A CBF está em conflito com comissão técnica e jogadores, já que a decisão de jogar a Copa América no Brasil foi decidida sem o aval de todos. Há um clima de negação entre a equipe e uma entrevista será concedida depois do segundo jogo das Eliminatórias, contra o Paraguai, na terça-feira, para que a equipe possa externar a posição da seleção dos fatos.

 

 

Notícia Paraíba