CPI convoca auditor de estudo atribuído ao TCU e Osmar Terra

CPI da Covid, do Senado Federal, decidiu na abertura da sessão desta quarta-feira (9) convocar Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, auditor do TCU responsável pelo estudo atribuído erroneamente ao órgão e  que colocava em dúvida 50% das mortes por covid  em 2020.

O TCU negou imediatamente a informação divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro a apoiadores na manhã de segunda-feira (7).

A comissão convocou ainda a coordenadora da PNI (Programa Nacional de Imunização), Francielli Fantinato, e o ex-ministro da Cidadania Osmar Terra, acusado de integrar o suposto gabinete paralelo de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro.

A sessão foi aberta com mais um bate-boca entre os senadores. O governista Marcos Rogério (DEM-RO) chamou Otto Alencar (PSD-BA) de covarde após acusá-lo de não querer investigar a morte de grávidas que tomaram vacina indevidamente no Brasil.

Minutos antes, a contragosto dos governistas, a comissão havia aprovado a convocação de Francielli Fantinato. De acordo com Otto Alencar, ela é responsável por permitir a aplicação da vacina da AstraZeneca em uma mulher grávida que faleceu. O medicamento, diz o senador,  não seria permitido a mulheres nesse estado.

O ex-ministro da Cidadania Osmar Terra é apontado como um dos conselheiros de Bolsonaro durante a pandemia. Havia três requerimentos pedindo a sua convocação.

A convocação do auditor do TCU Alexandre Silva Marques ocorre após o próprio presidente da República admitir que o estudo, que ele mencionou a apoiadores na segunda-feira (7) não era do tribunal.

O documento, distribuído a parte da imprensa, foi negado pelo órgão, que disse que não se baseia em nenhuma ação concreta do TCU.

A CPI recusou ainda a convocação do diretor-geral da Polícia Federal Paulo Maiurino, que falaria sobre inquéritos abertos nos estados com recursos enviados pelo governo federa para o combate à pandemia.