Acusados de matar Expedito Pereira passam por audiência de instrução nesta quinta-feira

Acontece, na manhã desta quinta-feira (10), a audiência de instrução dos acusados de matar o ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, que deve definir se o caso vai à júri popular.

Os réus são Leon Nascimento dos Santos, acusado de ter executado o crime, José Ricardo Alves Pereira, que é sobrinho de Expedito Pereira e apontado como o mandante do crime, e Gean Carlos da Silva Nascimento, que está foragido. Gean Carlos é o dono da moto que foi utilizada no homicídio e é apontado como intermediador do crime.

Em entrevista à TV Cabo Branco, o advogado de Gean Carlos, Daniel Alisson, informou que o cliente nega participação no caso. Ele sustenta que apenas emprestou a moto para um amigo.

Na audiência de instrução serão ouvidos os acusados do crime, as testemunhas e os familiares de Expedito Pereira.

Entenda o caso

O ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, foi assassinado na manhã do dia 9 de dezembro de 2020, no bairro de Manaíra, em João Pessoa. Enquanto ele caminhava pela calçada, um homem se aproximou em uma moto e atirou, fugindo em seguida. Este homem foi apontado como Leon Nascimento dos Santos.

As investigações mostram que Ricardo, Gean e Leon trabalharam juntos na campanha eleitoral, na qual o sobrinho de Expedito Pereira foi candidato a vereador.

Na casa dos investigados, a polícia apreendeu documentos, cadernos e anotações. Um cheque de R$ 12 mil, assinado por Expedito, mas que a família não reconhece a assinatura, foi achado na casa de um dos suspeitos. Na casa de Ricardo a polícia encontrou um coldre de uma arma, o certificado de propriedade de uma pistola e comprovantes fiscais de compras recentes de munição.

A polícia acredita que o crime tenha sido motivado por interesse financeiro do sobrinho nos bens de Expedito.