India testa 28 elefantes após morte de leoa atribuída ao coronavírus

Vinte e oito elefantes foram testados para a Covid-19 em uma reserva florestal no sul da Índia, após a morte de uma leoa asiática atribuída ao vírus, informaram as autoridades do país nesta quarta-feira (9).

A leoa, de nove anos, de uma espécie ameaçada de extinção, morreu no início de junho no Parque Zoológico Arignar Anna, em Chennai (antiga Madras), no estado de Tamil Nadu, no sul do país, de acordo com a imprensa local. Esta é a primeira morte de animal na Índia atribuída ao vírus.

Os testes revelaram que a leoa e outros oito felinos, incluindo dois que estão em estado grave, eram portadores do vírus, informou o “The New Indian Express”, de Chennai, na semana passada.

“Depois que os leões do Zoológico de Vandalur (Parque Zoológico de Arignar Anna) testaram positivo para a Covid-19, fomos solicitados a examinar os elefantes por precaução”, declarou um guarda-florestal nacional à AFP nesta quarta-feira.

As análises de amostras colhidas nesta terça-feira (8) de 28 elefantes, incluindo dois elefantes bebês, serão realizadas pelo Instituto Indiano de Pesquisa Veterinária no estado de Uttar Pradesh (norte). Os resultados são esperados dentro de uma semana. “Os animais não apresentavam sintomas, é apenas uma precaução”, acrescentou o guarda florestal.

Parque testa 21 tigres
“O procedimento para recolher as amostras em si não representou qualquer dificuldade”, contou ele, como evidenciado por imagens de um vídeo da reserva filmado durante o processo.

Cerca de 21 tigres no Parque Bhagwan Birsa, no estado de Jharkhand, também foram testados na semana passada, depois que um tigre de dez anos morreu com febre alta, de acordo com a imprensa local.

A agência de notícias indiana Press Trust of India (PTI), citando as autoridades da reserva, informou que um teste antigênico realizado no tigre apresentou resultado negativo, mas eles ainda aguardam a análise de um teste PCR.,