O Brasil registrou, neste sábado (18), 2.3015 mortes por covid-19 e 82.288 novos casos diagnosticados, de acordo com os dados enviados pelos estados ao Ministério da Saúde e ao Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde). Com isso, o país superou a marca dos 500 mil mortos por covid-19. O Brasil contabiliza agora 500.800 óbitos e 17.883.750 pessoas que já foram diagnosticadas com a doença.

Desde janeiro, quando a primeira pessoa foi vacinada, até o momento, apenas 11,5% da população recebeu as duas doses do imunizante contra a doença, o que corresponde a 24.426.291 pessoas.

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga usou as redes sociais neste sábado para lamentar os 500 mil óbitos no Brasil provocados pela pandemia da covid-19. Ele disse que trabalha para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar o cenário.

“500 mil vidas perdidas pela pandemia que afeta o nosso Brasil e todo o mundo”, escreveu Queiroga. “Trabalho incansavelmente para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar esse cenário que nos assola há mais de um ano.”

Queiroga escreveu ainda: “Presto minha solidariedade a cada pai, mãe, amigos e parentes, que perderam seus entes queridos”.
Para especialistas, a lentidão da campanha de vacinação contribuiu não apenas para o grande número de mortes, mas também para que o país se tornasse um perigo epidemiológico para o mundo, o que deixa a população ainda mais vulnerável, sem perspectiva de controle da pandemia.