Com 8.453 vidas perdidas para a Covid-19, a ocupação total de leitos de UTI de 66% e o ritmo de envio de vacinas abaixo do esperado, a Paraíba reforça o alerta acerca do aumento de contaminação em véspera de São João, que poderá ser sentido já em julho. Em entrevista a imprensa, nesta quarta-feira (23), o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, explicou que a preocupação maior deve ser com a vida, e que comemorações podem ser vivenciadas em momentos oportunos, quando todos estiverem protegidos.

“Os paraibanos não devem brincar esse ano. Teremos muitos São João e São Pedro para brincar nos próximos anos. Qualquer atitude impensada neste momento, em que há uma alta carga viral no estado, nós teremos a contaminação de famílias paraibanas, adoecimento de entes queridos e, infelizmente, mortes que poderiam ter sido evitadas. Com certeza, o mês de julho, terá o reflexo das atitudes que alguns paraibanos estão adotando essa semana, com aglomerações dentro de casa e espaços públicos, bem como a não utilização de máscara, e dos demais protocolos sanitários”, disse.

O gestor reforça novamente, mais uma vez, que se evitem aglomerações, principalmente com a fase atual do vírus que sofreu mutação e está ainda mais forte com o avanço de novas cepas, já identificadas no estado.

Desde o início da vacinação, em janeiro desse ano até agora, menos da metade da população paraibana foi vacinada. De uma população estimada de 3.766.528 pessoas na Paraíba, conforme último senso do IBGE realizado em 2010, apenas 1.178.012 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 495.258 com a segunda dose da vacina.

Como antecipado pelo ClickPB, a imunização de todos os grupos prioritários e da população em geral acontece até o mês de outubro. Mesmo vacinado, deve-se continuar seguindo os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19, como uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social.

Click PB