A publicação ‘A Cachaça no Brasil: Dados de Registros de Cachaças e Aguardentes’, divulgado pelo Ministério da Agricultura na última terça-feira (6), revelou que a Paraíba aumentou em 21% o número de estabelecimentos produtores de cachaça e está entre os dez estados que mais produzem a bebida, ocupando a sétima posição. A publicação destacou que o município de Areia ganhou destaque no cenário nacional e ainda ressaltou o título de Capital Paraibana da Cachaça, conferido por meio da Lei nº 11.873/21 de autoria do deputado estadual Eduardo Carneiro.

Presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado estadual Eduardo Carneiro (PRTB), ressaltou o potencial que o estado possui para produção da bebida. “A Paraíba sempre foi um celeiro na produção da cachaça e da aguardente. Temos engenhos que distribuem a bebida para diversas localidades do país e até do mundo. Precisamos investir, incentivar e valorizar cada vez mais os nossos produtores locais”, afirmou.

O Anuário apontou que o município de Areia ganhou destaque no cenário nacional galgando posições entre os estabelecimentos produtores de cachaça, somando um total de nove estabelecimentos, assim como o município de Alto Rio Doce, em Minas Gerais, que possui a mesma quantidade de estabelecimentos.

A publicação destacou o título que o município de Areia recebeu de Capital Paraibana da Cachaça, por meio da Lei nº 11.873/21 e de autoria de Eduardo Carneiro este ano. “Ter uma lei de minha autoria sendo destacada nessa publicação pela relevância da cidade de Areia na produção de cachaça é a convicção de que estamos tratando de um potencial enorme quando se trata dessa bebida. É preciso celebrar e trabalhar para colocar outras cidades paraibanas em posições de destaque nacional, dentro das suas potencialidades”, reforçou o parlamentar,  que também preside a Secretaria Especial de Empreendedorismo da União de Legislativos e Legisladores Estaduais (Unale).

Produção de Aguardente – No que diz respeito à produção, a publicação ‘A Cachaça no Brasil: Dados de Registros de Cachaças e Aguardentes’ identificou que a Paraíba ocupa o 11º lugar, mas a colocação indica ainda um ganho no número de posições, já que saiu do 16º lugar.

O Nordeste brasileiro está em segundo lugar no ranking regional, o que corresponde a 14,5% e 138 produtores de cachaça.

Buscando valorizar e contribuir ainda mais para destacar a Paraíba no cenário nacional da cachaça, tramita na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o Projeto de Lei nº 2.631/2021, que estabelece parâmetros para fiscalização efetiva sobre engenhos e alambiques clandestinos. A propositura, de autoria de Eduardo Carneiro, cria um Disque Denúncia de Produção Clandestina, atrelado a Secretaria de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiáridos, que receberá as denuncias da produção irregular de cachaça e vai executar as fiscalizações e inspeções.

Redação