A CPI da Covid determinou nesta quinta-feira (12) a quebra de sigilo dos contratos referentes à compra da vacina indiana Covaxin , cuja negociação é alvo da comissão por supostas irregularidades. Os documentos foram colocados sob sigilo de 100 anos pelo Ministério da Saúde.

Durante a sessão de hoje, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) se disponibilizou para ler e analisar as mais de 1500 páginas do contrato de compra do imunizante indiano.

Segundo Tebet, o contrato tem diversas irregularidades. O presidente da comissão, Omar Aziz, pediu que a senadora faça uma “boa canja” com os documentos. Tebet, então, respondeu que ela já está feita, basta apenas “servi-la”.

O colegiado ouve nesta quinta-feira o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara Federal. Ex-ministro da Saúde do governo Temer e um dos principais nomes do Centrão, ele deve prestar esclarecimentos sobre suspeitas de irregularidades nas negociações para compra da vacina Covaxin, após ter seu nome citado pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF).