O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes decretou a prisão preventiva do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) e o cumprimento de busca e apreensão contra o político. Ele é acusado de participação em uma organização criminosa digital montada para ataques à democracia. Para falar sobre esse tema a redação procurou o presidente estadual do PTB-PB, o jornalista Nilvan Ferreira, que considerou o pedido de prisão um ataque a democracia.

“Roberto Jeferson não cometeu nenhum crime. Apenas defendeu o presidente Bolsonaro. Sua prisão é um ataque à democracia”, comentou Nilvan Ferreira. O pedido de prisão partiu da Polícia Federal, que detectou a atuação de Roberto Jefferson em uma espécie de milícia digital que tem feito ataques aos ministros do Supremo e às instituições. A investigação faz parte do novo inquérito aberto por ordem de Moraes após o arquivamento do inquérito dos atos antidemocráticos, para apurar uma organização criminosa digital.

As buscas ao ex-parlamentar foram citadas pela filha de Roberto Jefferson no Twitter, Cristiane Brasil reclamou que foram atrás de sua mãe, no Rio de Janeiro, mas, segundo ela, seus pais não estão mais casados.