Em reunião na noite desta quarta-feira (18), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) rejeitou a proposta de aplicação da vacina Coronavac em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos. O pedido havia sido feito pelo Instituto Butantan no último dia 30 .

O imunizante está autorizado para uso emergencial desde 17 de janeiro deste ano, mas somente para pessoas acima de 18 anos.

A Anvisa tomou a decisão baseada na análise de documentos de estudos realizados em crianças e adolescentes fora do país. No Brasil, os testes foram feitos apenas em adultos, mas outras pesquisas são aceitas em território nacional desde que correspondam aos requisitos impostos pela agência.

Dúvidas levantadas pela agência dizem respeito à eficácia da vacina e a duração de sua proteção, uma vez aplicada nas crianças e adolescentes. Isso porque os dados apresentados pelo Instituto Butantan dizem respeito à produção de anticorpos da vacina nesse público e não à capacidade do imunizante em reduzir casos sintomáticos da doença, a chamada “eficácia”, normalmente conhecida na fase 3 de testes.

 

IG