Ministro da Economia participou do lançamento da Frente Parlamentar do Empreendedorismo nesta quarta (25). Guedes disse também que crise hídrica pode ‘causar perturbação’, mas que o Brasil vai vencer a crise.

Guedes: 'Qual é o problema agora que a energia vai ficar um pouco mais cara porque choveu menos?'
Guedes: ‘Qual é o problema agora que a energia vai ficar um pouco mais cara porque choveu menos?’

O ministro da Economia, Paulo Guedes , questionou nesta quarta-feira (25) qual seria o problema de a “energia ficar um pouco mais cara porque choveu menos”. De acordo com o ministro, o país conseguiu se organizar em meio à pandemia, então não haveria razão para “ter medo”.

A alta no preço da energia é consequência da crise hídrica que afeta os reservatórios das usinas hidrelétricas. O Brasil enfrenta a pior estiagem dos últimos 91 anos e nesta quarta (25) o governo federal anunciou medidas para estimular a redução do consumo de energia elétrica no país.

“Se ano passado que era um caos, nos organizamos e atravessamos, por que vamos ter medo agora? Qual é o problema agora que a energia vai ficar um pouco mais cara porque choveu menos?”, Disse Guedes durante o lançamento da Frente Parlamentar do Empreendedorismo, na Câmara dos Deputados, nesta quarta (25).

A energia elétrica exerceu o maior impacto individual no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta quarta (25), respondendo sozinha por 0,23 ponto percentual no índice do mês. E, segundo o blog da Ana Flor, o patamar 2 da bandeira tarifária vermelha da conta de luz deve aumentar ainda mais a partir de setembro.

Para o ministro, o Brasil irá “enfrentar essa crise”. Segundo Guedes, a falta de chuvas vai causar “perturbação”, que pode levar a informação um “pouquinho pra cima” e o Banco Central (BC) que “correr um pouco” para conter o aumento.

“Vamos ter que enfrentar o problema do choque hídrico, isso vai causar perturbação, empurra-se um pouquinho pra cima, BC tem que correr um pouco mais atrás da informação, mas nós vamos enfrentar essa crise.

G1