O governador da Paraíba, João Azevêdo, em entrevista ao programa Conversa com o Governador, nesta segunda-feira (30) destacou os dados que colocam o estado como uma referência em segurança pública em todo o país ao apontar a diminuição dos números de assassinato, roubo, assalto a banco, o aumento de prisões durante a pandemia, e de apreensão de drogas e arma de fogos.

“Nós tivemos redução de 15% dos assassinatos no mês de julho deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado. Nos sete meses, ainda houve uma queda de 40% nos ataques a bancos. Foram 6 casos contra 9 no mesmo período do ano passado. A redução de ocorrências chega a 89% em comparação a 2016”, destacou.

O governador também falou sobre as operações de combate ao tráfico de drogas. “Mais de 2,4 toneladas de entorpecentes, entre maconha, crack e cocaína, foram apreendidas, o que representa um aumento de 87% das drogas recolhidas em relação aos mesmos sete meses do ano passado”, disse.

De acordo com ele, as ações de prevenção e repressão qualificadas à violência, realizadas pela Polícia Militar e pela Polícia Civil, também resultaram na apreensão de mais de 2 mil armas de fogo das ruas, de janeiro a julho de 2021. “A Paraíba foi classificada como o 2º estado mais bem avaliado do Nordeste e 5º do país no Ranking do Centro de Liderança Pública. Somos também o 3º menor índice de assassinatos do Nordeste e o 4º menor de roubos no Brasil, segundo Anuário Brasileiro de Segurança Pública”, reforçou.

O gestor fez referência ao dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, explicando também sobre a redução nos casos mortes de mulheres. “Os dados apontam que os homicídios de mulheres no Estado mantiveram a queda, chegando a menos 9% de janeiro a julho de 2021. Os feminicídios também tiveram redução de 11% nos sete meses”, explicou.

Também foram verificados menos registros de roubos e furtos de carros e motos (-6%), com a recuperação de 2.269 veículos, devolvidos aos seus proprietários.