Entidades indígenas dizem que as terras são mais vulneráveis ​​a revisões, caso o “marco temporal” seja aprovado pelo Supremo Tribunal Federal ou no Congresso Nacional, entre elas estão a dos estados da Bahia, Minas Gerais e Mato Grosso.

Há o recebimento de uma chuva de contestações sobre demarcações , caso o entendimento atual seja modificado.

O “marco” reconheceria direito dos indígenas apenas em áreas que estavam ocupadas no momento da promulgação da Constituição, em 1988.

Indígenas protestam contra alteração da política de demarcação de terras
Indígenas protestam contra alteração da política de demarcação de terras

Segundo a Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil), o efeito imediato da mudança seria uma onda de invasões de agricultores e garimpeiros em terras contestadas, com grande potencial de violência.

                                                         FOLHA DE SP