Integrante da chamada ala ideológica do governo, Felipe Cruz Pedri afirmou em rede social na semana passada que deixaria cargo. Ex-secretário integrou comitiva do governo em Dubai.

O “Diário Oficial da União” publicou nesta terça-feira (19) a exoneração de Felipe Cruz Pedri do cargo de secretário de Comunicação Institucional da Secretaria Especial de Comunicação (Secom) do governo federal.

Entre outras atribuições, cabe à secretaria assessorar o presidente da República no relacionamento com formadores de opinião; coordenar eventos institucionais da Presidência; e supervisionar a aplicação da marca do governo federal em peças e materiais publicitários.

Integrante da chamada ala ideológica do governo Jair Bolsonaro, Felipe Pedri integrou a comitiva brasileira na viagem aos Emirados Árabes Unidos para uma feira em Dubai.

Uma foto do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) vestido de “sheik” durante a viagem a Dubai gerou diversas críticas.

Parlamentares da oposição questionaram os gastos do filho do presidente no período em que a comitiva brasileira está no país em missão oficial. Eduardo, nas redes, disse que viajou com recursos próprios.

Saída do secretário

 

Felipe Pedri já havia informado na semana passada em uma rede social que deixaria o cargo. Na postagem, disse que se despedia da Secom para “partir para outros caminhos, que envolvem mais política ainda”.

Ex-assessor do ministro Onyx Lorenzoni na Casa Civil, Pedri é cotado para assumir outro cargo no governo. Uma das possibilidades é um posto na Secretaria Especial da Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo, e comandada por Mario Frias.

O ex-secretário de Comunicação Institucional se apresenta como publicitário e “conservador”. No governo, teve proximidade com nomes como o assessor Filipe Martins, seguidor do ideólogo Olavo de Carvalho.

G1