Operação Loki prende em Pernambuco suspeitos de fraudar concursos públicos

Suspeitos de integrar uma organização criminosa voltada para a prática de fraude em concursos públicos em Pernambuco e Alagoas são alvo de Operação Loki, deflagrada pelas Polícias Civis dos dois estados, na manhã desta quinta-feira (21). Ainda não foram informados quais os certames fraudades pela quadrilha.

Em Pernambuco, são cumpridos, nesta quinta, nove mandados de prisão e 41 mandados de busca e apreensão domiciliar – a polícia, porém, ainda não divulgou os locais.

Suspeitos de integrar uma organização criminosa voltada para a prática de fraude em concursos públicos em Pernambuco e Alagoas são alvo de Operação Loki, deflagrada pelas Polícias Civis dos dois estados, na manhã desta quinta-feira (21). Ainda não foram informados quais os certames fraudades pela quadrilha.

Em Pernambuco, são cumpridos, nesta quinta, nove mandados de prisão e 41 mandados de busca e apreensão domiciliar – a polícia, porém, ainda não divulgou os locais.

Os policiais encaminham os materiais apreendidos para o Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados, na Zona Oester do Recife; e para o Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco), no bairro de Tejipió, também Zona Oeste da capital pernambucana.

Na execução da operação, são empregados 250 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães de Pernambuco e Alagoas.

Mais detalhes serão divulgados em coletiva de imprensa, ao longo do dia, pela Polícia Civil.