O recuo de Romero Rodrigues (PSD) em adiar a decisão sobre seu futuro político é mais do que uma pausa: significa que a aguardada aliança com o governador João Azvêdo (Cidadania), rodeada de expectativas, subiu no telhado e agora está mais distante.

Isso porque, movimentos que ocorreram um dia antes, comprovam essa afirmativa. O principal deles, a ‘reconciliação’ da secretária Ana Cláudia, esposa de Veneziano, com o governador João Azevêdo, durante cerimônia em homenagem aos servidores estaduais.

Na oportunidade, tanto o governador quando a auxiliar garantiram que a crise política entre ele e a secretária Ana Cláudia está superada, reforçando ‘a união de forças’ em prol do Estado.

Ocorre que aquele episódio debelou as expectativas de Rodrigues, que de acordo com seus aliados, pondera sobre uma composição para ser o candidato a vice na chapa governista. Com a família Vital no páreo, falta-lhe o espaço que antes parecia mais fácil.

O governador João Azevêdo, por outro lado, parece não ter dado qualquer sinal ou garantia de que Romero poderá ter este espaço na chapa, deixando-o sem segurança para tomar qualquer decisão agora.

Para João Azevêdo, mais vale um ‘pássaro’ Veneziano na mão do que facilitar uma aliança com Rodrigues e, no fim, correr o risco de uma decisão precipitada e ver ‘os dois voando’.

Em outras palavras, a paquera entre João e Romero parece ter sido debelada antes mesmo de virar namoro. Como diz o ditado: deu com os burros n’água. Já o casamento com Veneziano parece ter sido renovado e reavivado no coração de Azevêdo.

É preciso aguardar pra ver o que o tempo dirá.

 

Do Polêmica Paraíba