Augusto Nardes elogiou aprovação da PEC dos Precatórios e afirmou que país precisa combater miséria e retomar crescimento

BRASÍLIA — O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, afirmou nesta quinta-feira que sugeriu aos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), um “pacto” para “gastar um pouco mais” durante os próximos três ou cinco anos.

Para Nardes, essa medida seria necessária para retomar o crescimento e combater a miséria.

— Vamos gastar menos e deixar a miséria acontecer e continuar acontecendo e as pessoas morrerem de fome? Ou vamos fazer um pacto pela nação? — indagou Nardes, durante fórum organizado pelo tribunal.

Ele continuou:

— Eu estive com o presidente do Senado e da Câmara na semana passada e propus que seja feito um pacto pela nação de três a cinco anos para a gente poder gastar um pouco mais. E quem está falando é alguém do controle. Eu estou falando por mim, não pelos ministros do TCU, para que a gente possa retomar o crescimento.

O ministro elogiou a aprovação pela Câmara, em primeiro turno, da PEC dos Precatórios, que muda o teto de gastos e abre caminho para pagar o Auxílio Brasil de R$ 400 em 2022, ano eleitoral.

Para Nardes, o país deve gastar mais em programas sociais.

— Acho que a decisão de ontem liberando R$ 90 bilhões, depois a questão dos precatórios, vai dar para manter o auxílio emergencial. Eu acho, comparando com outras nações, que nós tínhamos que gastar mais neste auxílio social e emergencial para tirar a população da miséria, da fome e assim termos capacidade de investimento maio.

O GLOBO