Dois bebês gorilas nascem em parque da República Democrática do Congo

O Parque Nacional de Virunga (PNVi), no leste da República Democrática do Congo, acaba de registrar dois novos nascimentos de gorilas da montanha, cujo número continua de exemplares a aumentar, graças a uma estratégia de “conservação extrema”, informou o parque nesta quinta-feira (18).

Nas redes sociais, o PNVi anunciou o nascimento de um macho, em 15 de novembro, da família Wilungula, e de uma fêmea, da família Humba, na noite deste mesmo dia. Esses dois filhotes gorilas “elevam para 16 o número de nascimentos registrados desde janeiro”, disse o parque.

Em uma ficha resumida elaborada recentemente pelo PNVi, até meados de 2021, a população estimada de gorilas da montanha era de 350 exemplares. Destes, 225, divididos em dez grupos, estão acostumados à presença humana.

Em 1981, sua população era de apenas 58 gorilas, lembra o documento.

“Eram 131 em 2000; 201, em 2010; e 286, no último censo de 2016”, acrescenta.

O próximo censo, exaustivo e transfronteiriço, está previsto para 2022.

No total, dos três países que abrigam gorilas das montanhas (RDC, Uganda e Ruanda), a população da espécie se multiplicou por cinco em 40 anos, passando de menos de 200, na década de 1980, para 1.063, segundo uma avaliação feita nos censos de 2016 e 2018.

Em novembro de 2018, o status dos gorilas das montanhas foi revisto pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) de “criticamente em perigo” para “em perigo”.

O Parque de Virunga considera que esse “sucesso de conservação” é resultado de sua estratégia de “conservação extrema”, que envolve “acompanhamento diário e próximo dos animais por guardas, rastreadores e veterinários”.