Parece que a polêmica de agressão envolvendo o cantor Ávine Vinny ainda vai dar o que falar. Como você acompanhou aqui no ESTRELANDO, a Justiça determinou na manhã desta terça-feira, dia 14, que o cantor deveria responder à acusação em liberdade. De acordo com o colunista Leo Dias, no entanto, essa decisão veio depois que sua ex-esposa decidiu retirar as alegações de ameaça de morte contra o músico.

Laís Holanda teria comunicado a mudança de postura não apenas na delegacia, mas também durante a audiência de custódia que ocorreu na manhã desta terça, na capital com Ceará, Fortaleza. Com isso, o processo irá correr em segredo de Justiça.

Leo Dias ainda afirma que, após a audiência, Holanda teria decidido se pronunciar através de uma publicação em sua conta fechada no Instagram, pontuando que o objetivo da denúncia foi resguardar a sua própria segurança e também a de sua filha e dando a entender que terceiros estariam tentando diminuir a gravidade das acusações:

O caso segue em segredo de Justiça e deverá ser analisado pelo poder judiciário. Informo que todas as decisões tomadas no processo são provenientes de provas e relatos com testemunhos. O objetivo é resguardar a mim e a menor envolvida, devendo ser pontuado que são questões pessoais que dizem respeito ao âmbito familiar, sendo invasiva e criminosa qualquer conduta, por parte de terceiros que desconhecem a integralidade do teor dos fatos, na tentativa de difamar as vítimas.

Na sequência, ela ainda reforça que o processo é focado totalmente no âmbito familiar e que ela não tem intenção alguma em prejudicar profissionalmente ninguém, destacando também que as decisões quanto ao que deve ser feito cabem apenas à Justiça:

Creio que muito mais importante que a vã e triste exposição midiática é a eficácia da lei e a adoção das medidas cabíveis em prol da realização da justiça e prevenção de qualquer tipo de violência. Se há alguma informação necessária à sociedade, pelo fato da questão profissional, informamos que as medidas e decisões foram tomadas pela justiça e não pela vítima.