O Papa Francisco classificou a violência contra as mulheres como um insulto a Deus, durante a missa na Basílica de São Pedro, neste sábado, em homenagem à Virgem Maria. Na mensagem, Francisco também lembrou das jovens mães e seus filhos “que estão fugindo das guerras e da fome ou que estão esperando em campos de refugiados”.

— A Igreja é mãe, a Igreja é mulher. Enquanto as mães dão vida e as mulheres salvam o mundo, devemos todos trabalhar para promover as mães e proteger as mulheres — disse o Papa. — Quanta violência existe contra a mulher! Chega! Machucar uma mulher é ultrajar a Deus, que criou a humanidade de uma mulher.

Horas depois, em seu discurso do Angelus, o Papa pediu o fim da violência e disse à multidão reunida na Praça de São Pedro para manter a paz em seus pensamentos. Francisco ainda exortou o mundo a “arregaçar as mangas” e pediu aos fiéis que sejam positivos e trabalhem para construir uma sociedade melhor.

— Vamos voltar para casa pensando em paz, paz, paz. Precisamos de paz — disse o Papa após a oração do Angelus.

O pontífice, que completou 85 anos no dia 17 de dezembro, lembrou aos fiéis que a paz exige “gestos concretos”, como perdoar os outros e promover a justiça.

— E também precisa de um olhar positivo: que olhemos sempre, na Igreja como na sociedade, não para o mal que nos divide, mas para o bem que pode nos unir! — disse da janela do Palácio Apostólico. — Não adianta se abater e reclamar, mas arregaçar as mangas para construir a paz.

Na véspera do Ano Novo, Francisco não presidiu as Vésperas na Basílica de São Pedro, conforme programado, e, em vez disso, cedeu o serviço ao decano do Colégio Cardinalício, Giovanni Battista Re.

O GLOBO